bezerra de farias
Foto: Sindisaúde

Funcionários do hospital Antônio Bezerra de Farias se reuniram na manhã desta quarta-feira (3), na Pracinha do centro de Vila Velha, para protestar contra a terceirização do local.

O edital foi publicado pelo governo no Diário Oficial (DIO) do dia 28 de setembro. Para os manifestantes, a  terceirização é um retrocesso e pode trazer muitos prejuízos para a população que depende da rede pública de saúde. Eles usam como exemplo outros hospitais que foram privatizados, entre eles o Hospital infantil e Maternidade de V ila Velha (HIMABA).

“Eu trabalhava na UTI Neonatal do Hospital Infantil e declarava o óbito de uma criança a cada três ou quatro meses. Depois da privatização, chegou um dia de eu ter três mortes de bebê. Falta remédio, eles contratam médicos menos experientes e pela metade do preço. Erros e mais erros que levam a óbito. O servidor concursado é perseguido, fica doente ou pede para sair”, relata a assistente social Cláudia Carneiro Rosset.

Além dos funcionários do hospital, alguns lideres comunitários e integrantes do SindiSaúde também estiveram presentes na reinvindicação. “Nós somos contrários a essa terceirização. O edital está cheio de problemas. Há vários indícios de que eles estão fazendo isso correndo. As empresas tem apenas 15 dias para se inscrever no processo. Essas organizações nada mais são do que empresas travestidas de Organização Social (OS) para ganhar lucros. Nenhum órgão do governo que fiscaliza”, afirmou o diretor de comunicação do Sindisaúde e funcionário do hospital, Valdecir Gomes do Nascimento.

E eles prometem não parar por aí. “Estamos denunciando, fazendo esse ato e vamos fazer vários outros contrários a essa privatização. Nós não vamos entregar esse hospital de mão beijada” conclui Valdecir Gomes do Nascimento.

Por Lizandra Amario

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *