Uma foto tirada durante um desfile de blocos em Vitória ‘viralizou’ na internet, após denúncia de um caso de racismo.

Em entrevista à Revista Fórum, o jovem Iarley Duarte, que denunciou o caso, informou que um rapaz branco, identificado no Instagram pelo perfil de “@lucasalmeid4_” pediu para tirar uma foto com ele e seu grupo de amigos durante o bloco “Bekoo das Pretas”. No entanto, ao ser postada na rede social o jfoto blocoovem publicou a seguinte legenda: “Vou roubei seu celular”.

“Ele simplesmente viu a gente brincando, chegou até nós rindo e pediu pra gente tirar uma foto com ele, mas nunca tínhamos visto ele e nem o conhecíamos. Logo que ele bateu a foto, saiu, sumiu não vimos mais. Aí quando foi hoje um amigo me marcou em uma publicação no Twitter mostrando o título da foto, nos discriminando”, disse Iarley durante a entrevista.

“Ficamos com muita raiva, indignados, tristes e revoltados pelo gesto, pela discriminação por conta da nossa cor e pela nossa classe social”, afirmou Iarley à Fórum.

A publicação em que o jovem faz a denúncia já tem mais de 2 mil compartilhamentos.

O perfil no qual a foto foi publicada foi removido do Instagram, e a equipe de ES Hoje não conseguiu localizar o responsável pela publicação.

Nota de repúdio

Nesta quinta-feira (15), o Círculo Palmarino, organização do movimento negro, emitiu nota em repúdio ao ato racista. Leia na íntegra:

“O Círculo Palmarino, organização do movimento negro, vem a público repudiar o ato racista que vitimou três jovens negros durante o carnaval no Centro de Vitória/ES.

Os jovens, que participavam do bloco do Bekoo das Pretas, no sábado (10), foram abordados por um jovem branco que pediu para tirar uma foto com eles e posteriormente postou numa rede social com uma legenda insinuando que os jovens negros roubariam o seu celular. A imagem viralizou na internet e causou indignação em diversas pessoas.

Casos como esse reforçam o estereótipo racista que recai sobre jovens negros e contribui para criminalização desse segmento. Enquanto Movimento Negro, para além de repudiar tal ato, prestamos nossa solidariedade aos jovens que foram vítimas diretas e a todas as pessoas que tiveram sua dignidade ferida com o episódio.

Buscaremos oferecer apoio jurídico e psicossocial para os três jovens para que possamos responsabilizar o agressor e fortalecer ainda mais o debate público sobre a necessidade de avançarmos na implementação de políticas de combate ao racismo no estado do Espírito Santo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *