Santa RitaPadroeira dos casos impossíveis: para os devotos de Santa Rita de Cássia esta segunda-feira, 22 de maio, será um dia de celebração. Durante todo o dia milhares de pessoas vão ás igrejas cuja padroeira é a santa. Os devotos aproveitam para rezar e agradecer graças alcançadas.

“Eu posso dizer que, se estou vivo hoje é porque Santa Rita rogou por mim à Deus. Eu sempre tive um “santinho” dela no meu carro. Um dia, nervoso e cheio de problemas, me envolvi em um acidente de carro. Quando o caminhão veio em minha direção e eu já não tinha mais o que fazer, olhei para ela e pedi “Santa Rita, me ajuda”. Desde então, sempre peço a ajuda dela”, contou o aposentado José Ramos.

Devota da santa, Maria do Carmo Santos diz que sua fé é uma forma de agradecer uma graça alcançada pela intercessão de Santa Rita. “Eu sei que não são os santos que realizam, mas Deus é quem faz tudo e com a ajuda de Santa Rita consegui conquistar o meu maior tesouro: minha filha. Rita, que eu dei o nome em homenagem à minha santinha, foi muito esperada. Antes dela sofri três abortos e pedi muito a maternidade. Sempre estou aqui e não será diferente no dia 22”, contou Maria do Carmo.

Ela conversou com a reportagem dentro da igreja com o nome da santa localizada na Praia do Canto, em Vitória. A paróquia está em festa e na rua em frente ao templo religioso barraquinhas típicas de festa junina. Por lá, o estilo de festa é antecipado para acompanhar os festejo à padroeira.

Até domingo serão comidas típicas, com representantes de todos os setores e grupos da igreja, como catequese e encontro de casai. Mas o ponto alto é na segunda-feira, dia da Santa. Ao longo de todo o dia acontecerão as celebrações com as várias solenidades realizadas: missa solene, Súplica e Bênção das Rosas e Missa dos Enfermos

A primeira missa será às 7 horas. Às 9h, 10H30m e 12 horas acontecem a súplica e bênção das rosas, às 15h tem missa de Santa Rita de Cássia em favor dos enfermos e às 18h30m a missa solene com procissão pelas ruas do bairro Praia do Canto.

Santa Rita de Cássia: Santa Rita de Cássia nasceu em Cássia, na Itália, em 1381. Desde criança, a santa demonstrava seu desejo de se consagrar à vida religiosa, mas, por obediência aos pais, casou-se aos 12 anos. Teve uma vida conjugal difícil devido ao caráter violento do marido. Com seu empenho e orações, conseguiu convertê-lo. Após a morte do marido, vítima de assassinato, perdeu seus dois filhos. Viúva, manifesta a vontade de ingressar no mosteiro das irmãs Agostinianas que só aceitava jovens solteiras. Após várias tentativas, finalmente fizeram uma exceção e aceitaram a santa em sua comunidade.

Esta foi um exemplo de vida religiosa, com suas orações e suas mortificações. Ela se devotou especialmente a cuidar de irmãs doentes e a aconselhar pecadores. Por 14 anos, até sua morte, trouxe na testa um estigma, associando-se, assim, à paixão de Cristo. Morreu no Mosteiro de Cássia, em 1457 e foi canonizada em 1900. São-lhe atribuídos tantos e tão extraordinários milagres que é tida como “advogada das causas perdidas e a santa do impossível”. É também protetora absoluta das mães e esposas que sofrem pelos maus-tratos dos maridos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *