Jaqueline Colodetti instagramA notícia de que o corpo de uma mulher foi encontrado no Rio Jucu, na região de Marechal Floriano, na noite do último domingo (15), levou a família da médica Jaqueline Coloedetti ao Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.

Raíza Colodetti, sobrinha da cardiologista desaparecida desde o dia 3 de abril, disse que os parentes foram informados sobre o caso, no fim da tarde do último domingo (15), e aguardam resultados de exames.

“Estamos em contanto direito com a polícia da região, que está acompanhado o caso. A família foi ao DML, no fim da tarde e também por volta das 22h, mas não teve contato com o corpo. Estamos aguardando o retorno da perícia”, explicou.

Segundo Raíza, o corpo foi encontrado por um caseiro, que chamou os bombeiros e a polícia.  A área onde o corpo foi encontrado fica próximo ao local onde a cardiologista teria sido vista pela última vez. A família não pôde fazer o reconhecimento porque o corpo está em avançado estado de decomposição. “Está todo mundo muito preocupado. Estamos aguardando. Eles não deram essa informação, mas o resultado pode sair a qualquer momento. Não deram dia e horário exato. Até porque o DML tem fila de corpos para serem periciados”.

Raíza disse também que a notícia deixou toda a família confusa. As informações mais precisas eram de que Jaqueline teria sido vista na Bahia, após pegar carona com um caminhoneiro na BR 262. “O caminhoneiro deu caraterísticas dela. Mais de cinco pessoas disseram ter visto a Jaqueline em Jaguaquara. Queremos saber quais informações procedem. A família não descarta nenhuma possibildiade. As maiores chances eram de ela estar na Bahia. Achávamos que ela tinha passado por um surto. Essa era a grande possibilidade, tanto que tinham familiares até ontem por lá”.

O caso

A cardiologista capixaba Jaqueline da Penha Colodetti, 50, está desparecida desde à tarde do dia 3 de abril. Ela teria sio avistada pela última vez, próximo ao Rio Jucu, em Viana.

A médica, que tem uma clínica em Campo Grande, Cariacica, também realiza atendimentos em Domingos Martins e Santa Leopoldina, na região Serrana do Estado. Ela retornava de uma consulta em Campinho, quando teria desaparecido.

A família criou uma página em busca de notícias que os levasse a encontrar Jaqueline. “Procura-se: Jaqueline Colodetti” recebeu mais de sete mil curtidas até a manhã desta segunda-feira (16).

Jaqueline tem 3 filhos, é loira, magra, tem aproximadamente 1.70m de altura, cabelos loiros e olhos castanho claros. A família pede que quem tiver informações sobre o paradeiro dela entre em contato imediatamente pelos telefones (27) 98802-6205, (27) 99989-3396 ou (27) 99909-1524.

Cometários

  1. eu observando esse caso fico pensando, qual maior probabilidade dela esta morta ou viva.
    Pelo q eu sei de investigaçoes existe uma grande chance de encontrarem ela morta devido a : nao roubaram nada, ela pediu carona a um desconhecido, acharam um corpo proximo ao local q ela foi vista pela ultima vez e o corpo estava vestido com as calças e sutiã. Com isso ja da pra imaginar o q : morte por tentativa de estupro.

    1. Na primeira reportagem do caso quando anunciaram que ela tinha desaparecido sem levar nenhum pertence e ter ficado quase duas horas parada no local onde o carro foi encontrado, eu já sabia que não teria sido um surto como a família pensava e sim um caso de assassinato. Esse caso é simples, ela tinha dinheiro, bem de vida, isso despertou o interesse em algum meliante que já à observava faz tempo e com enteresses sexuais a sequestrou, tentou estuprá-la ou chegou a fazer isso (na perícia saberemos) e a matou.

      1. Também pensei que fosse suicídio, mas esse pensamento foi embora quando li que o corpo estava sem a blusa, então não dá para pensar que ela mesma tirou a blusa né?

  2. Quando este caminhoneiro ligou que tinha dado carona ,vcs ratrearam o número telefone dele ?Eu achei muito estranho e não acreditei,Deus conforta o coração de toda a família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *