O ex-diretor da campanha à presidência de Donald Trump, Paul Manafort, se declarou culpado de duas acusações federais, como parte de um acordo de cooperação com promotores. O acordo exige que ele coopera “completa e sinceramente” com a investigação comandada pelo conselheiro especial Robert Mueller, que investiga a suposta interferência da Rússia na eleição presidencial americana de 2016.

As acusações contra Manafort estão relacionadas ao seu trabalho de consultoria na Ucrânia, e não à interferência russa, que é a questão central na investigação de Mueller. O movimento desta sexta-feira dá a Mueller outra convicção bem-sucedida e permite que Manafort evite enfrentar outro julgamento público. O ex-diretor da campanha de Trump foi condenado no mês passado por oito crimes financeiros.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, disse que a decisão de Manafort de se declarar culpado e de cooperar com a apuração de Mueller é “totalmente não relacionada” com Trump. Em um comunicado, Sarah afirmou que “isso não tem absolutamente nada a ver com o presidente ou sua vitoriosa campanha presidencial de 2016. É totalmente não relacionado”. Fonte: Associated Press.

Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *