O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, André de Albuquerque Garcia, acaba de alugar dois veículos blindados. Os veículos foram contratados junto à empresa Salute Locação e Empreendimentos Ltda, localizada na Ilha de Santa Maria, em Vitória.

Por mês, a locação sairá por  R$ 16.900,00. O valor global do contrato é de  R$ 202.800,00. A contratação dos veículos está dentro do Processo nº: 77026314/2017 e o contrato é de nº 006/2017-SESP, referente ao Pregão Eletrônico nº 007/2017, publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (20/04).

Na publicação, o extrato de contrato informa que os veículos locados, “sem motorista”, possuem o nível de segurança III-A, previsto no Artigo 18 do Decreto 3.665, de 20 de novembro de 2000 (Regulamento para a Fiscalização de Produtos Controlados pelo Exército Brasileiro). Por essas especificações, os veículos a serem utilizados pela Sesp suportam tiros de revólver, pistola e até submetralhadora.

No auge da crise da segurança pública, quando policiais militares capixabas ficaram aquartelados durante 22 dias no mês de fevereiro deste ano, o secretário André Garcia chegou a anunciar na imprensa que estaria sendo ameaçado de morte. As ameaças teriam se estendido a familiares do secretário.

No dia 19 de fevereiro, a Delegacia de Crimes Eletrônicos informou que iria investigar “as ameaças à integridade física sofridas pelo secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Espírito Santo, André Garcia, e seus familiares”. A investigação se daria por determinação do governador  Paulo Hartung (PMDB). Inclusive, Hartung comunicou as ameaças ao presidente da República, Michel Temer, por meio do ministro da Justiça, José Levi Mello do Amaral Júnior. O governador também solicitou o apoio da Polícia Federal nas investigações.

Na ocasião, a Sesp divulgou nota, informando que parentes do secretário André Garcia também estariam sendo ameaçadas através de redes sociais e telefone: “O Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Tribunal de Justiça, sociedade civil organizada e a Ordem dos Advogados do Brasil Seção Espírito Santo foram informados da gravidade das ameaças e das tentativas de intimidação”, dizia a nota.

Na mesma nota, a Sesp informou que “as ameaças têm ligação direta” com a paralisação dos policiais militares.” Mas até o momento a Polícia Civil não concluiu as investigações sobre as ameaças. (com informações do Blog do Elimar Côrtes)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *