2939920-assembleia-alesA polícia civil prendeu, nesta segunda-feira (9), em Guarapari, o empresário João de Sá Netto. Ele é suspeito de envolvimento na fraude de seguros para deputados, juntamente com o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), José Carlos Gratz, e do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do estado, Valci Ferreira.

Contra João de Sá havia um mandado de prisão em aberto, desde outubro do ano passado, decretado pela Justiça. De acordo com o chefe de inteligência da SPIC, a prisão se deu após a polícia receber informações no Disque-Denúncia 181. Ele foi localizado na casa de um irmão dele e não apresentou nenhum tipo de resistência a prisão.

Após os procedimentos, João  de Sá Netto foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana (CTV).

O caso

O empresário João de Sá Netto era sócio de Luiz Carlos Mateus, na MPS Administradora e Corretora de Seguros Ltda (atual MPS Serviços Técnicos de Seguros). Os dois foram condenados a três anos, um mês e 15 dias de reclusão em regime inicialmente aberto, mais 320 dias-multa (no valor unitário do salário mínimo em janeiro de 2003), acusados de fraudarem a fiscalização tributária entre 2000 e 2003.

Segundo a denúncia, um dos esquemas fraudulentos dos empresários envolveu a contratação de seguros de vida para deputados estaduais. As denúncias de irregularidades na contratação acabaram provocando a instalação de uma CPI para investigar o caso.

Ainda de acordo com a denúncias, os empresários teriam apresentados dados falsos, omitindo informações à Receita Federal. As penas foram substituídas por duas restritivas de direitos. No entanto, Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) recorreu da sentença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *