Foto: Reprodução/ WhatsApp
Foto: Reprodução/ WhatsApp

Apesar da queda de 10,7% no número de acidentes registrados na BR 101, na comparação entre os anos de 2016 e 2017, o quantitativo de mortes registradas na rodovia permanece o mesmo: 201 para cada ano.

Além disso, no ano passado foram registrados 2.979 acidentes, que deixaram 3.401 pessoas feridas relação ao ano de 2016, esses números representam uma queda de 10,8% no total de acidentes e 9,2% no de feridos. Os dados fazem parte de um levantamento divulgado pela Polícia Rodoviária Federal, nesta segunda-feira (08).

comparativo

Acidentes trágicos

As rodovias federais do ES vivenciaram acidentes de grande repercussão nacional e mundial, nos quais, 40 pessoas morreram. Em dois deles, houve envolvimento de veículos de transportes de rochas ornamentais.

No dia 22 de junho de 2017, na BR 101, KM 343, em Guarapari/ES, uma carreta com pedra de granito tombou e colidiu frontalmente com ônibus. 23 pessoas morreram no acidente;

No dia 10 de setembro de 2017, na BR 101, KM 450, em Mimoso do Sul/ES, a carga de chapas serradas de granito de um caminhão caiu na pista, atingindo um micro-ônibus, que perdeu controle e colidiu frontalmente com carreta. O acidente causou a morte de 11 pessoas; No dia 26 de dezembro de 2017, na BR 262, Km 184, em Irupi/ES, dois automóveis colidiram frontalmente, após um deles invadir contramão de direção. O acidente causou a morte de 06 pessoas.

Comportamento no trânsito

De acordo com a PRF, a maioria dos acidentes ainda é ligada ao comportamento humano. Das ocorrências que resultaram em mortes, as principais causas que puderam ser detectadas pelos policiais foram a falta de atenção (42,2%), a desobediência à sinalização (11,1%), a velocidade incompatível (10,1%), não guardar distância de segurança (7,2%) e ingestão de álcool (6,8%).

Segundo o levantamento, a colisão traseira é o tipo de acidente que mais acontece. É causada principalmente pela falta de atenção, por não se guardar distância de segurança e por se manter uma velocidade incompatível. Entretanto, o tipo de acidente que mais gera acidentes graves é a colisão frontal, causada, especialmente, pelas ultrapassagens forçadas ou em locais sem visibilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *