O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), protagonizou com João Doria (PSDB) o primeiro embate mais duro no debate da Band na noite desta quinta-feira, 16, no segundo bloco do programa.

Em pergunta sobre a proibição da caça de javalis no Estado, Doria disse que França mudou de ideia em relação ao tema. O governador respondeu que não e disse que quem troca de posição é o tucano.

“Quem muda de ideia sempre é você; eu não mudo minhas posições. Por 43 vezes o senhor falou que não iria renunciar à Prefeitura, e não cumpriu”, afirmou França, na tréplica, arrancando alguns aplausos da plateia. “Eu não traio meus amigos.”

Da plateia, o secretário de Governo Saulo de Castro (PSDB), convidado do PSB, não conteve o riso.

Doria pediu à produção da Band direito de resposta. A emissora negou, alegando que não houve insulto direto.

À exceção do embate entre França e Doria, os demais candidatos optaram por não fazer confrontos diretos.

Lisete Arelalo (PSOL) tentou nacionalizar as discussões ao criticar a reforma trabalhista. Para ela, a medida é responsável pelo desemprego no País.

Rodrigo Tavares (PRTB) defendeu o “enxugamento do Estado” em sua fala, mas destacou a necessidade de criar um banco estadual de investimento.

Marcelo Cândido (PDT) e Luiz Marinho (PT) concordaram que a medida sobre aumento do teto do funcionalismo público pode não ser boa ao Estado. O pedetista citou que, assim como Ciro Gomes (PDT), deseja fazer uma reforma tributária no Estado.

Militantes de França que soltaram fogos na chegada dele à Band se machucaram e estão sendo atendidos no Hospital São Luís.

Mateus Fagundes e Pedro Venceslau
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *