Além da reabertura com prazo de adesão até o dia 26 de outubro, o plano de demissão da Eletrobras tem nova meta. O Plano de Demissão Consensual da Eletrobras (PDC) visa o desligamento de 2,281 mil empregados. Se tal quantidade for atingida, a economia estimada é de cerca de R$ 660 milhões por ano para as empresas envolvidas no plano – a holding e mais CGTEE, Chesf, Eletronuclear, Eletronorte, Amazonas GT, Eletrosul, Furnas e Cepel -, ao custo de R$ 730 milhões.

A nova meta consta em comunicado sobre o PDC da Chesf, que comenta ainda sobre a reabertura do programa que as condições foram aprovadas previamente pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST) e mantidas inalteradas.

O plano vai de 2018 a 2022. Na primeira etapa, a adesão foi de 733 empregados, representando uma economia de R$ 254 milhões anuais, como a Eletrobras havia informado na segunda-feira, 15.

Luana Pavani
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *