AYRES2Foi preso preventivamente por volta das 11h desta segunda-feira (6), mais um acusado de estelionato envolvendo veículos na Grande Vitória. O local utilizado por Ayres Francisco dos Santos, de 39 anos, era a  própria oficina mecânica, uma das maiores de Jardim Camburi.

Segundo a polícia civil, a oficina mecânica do suspeito era indicada até mesmo por empresas autorizadas como um bom lugar para reparos automotivos. Ele se aproveitava da boa fama do local para enganar as vítimas, sem deixar ninguém desconfiado.

Levar o veículo a uma oficina para pequenos reparos é uma ação corriqueira pra quem tem carro. Mas imagine uma demora de seis meses ou até um ano para terminar um concerto? Essa era a artimanha utilizada por Ayres Francisco dos Santos para convencer as vítimas de desistirem e venderem os veículos para ele. Porém, elas nunca recebiam os devidos pagamentos.

Segundo as investigações, a primeira vítima fez a denuncia em maio deste ano, e a partir daí, surgiram outras 10, entre casos de estelionato e ameaças. Algumas disseram ter se conhecido através de reclamações em uma rede social e compartilhando seus relatos, perceberam que era um golpe.

Segundo a delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes de Defraudações e Falsificações (Defa), Rhaiana Bremenkamp, uma das vítimas procurou pelo suspeito na oficina para tirar satisfações, mas o mesmo se sentiu ameaçado e solicitou apoio a Polícia Militar. Eles foram encaminhados a regional de Vitória, onde a vítima acabou sendo autuada e ele saiu livre.

Ainda segundo a delegada, no dia 21 de junho foi cumprido um mandado de busca e apreensão na oficina, onde diversos contratos de compra e vendas foram encontrados, além de algumas notificações judiciais de ações cíveis registradas pelas vítimas. Na ocasião, Ayres Francisco dos Santos não quis se manifestar e ainda passou um endereço falso para polícia. E isso não foi motivo para ele parar com os golpes.

“Mesmo sabendo que estava sendo investigado, ele cometeu outros crimes. Por exemplo, falsificou documentos públicos, documentos de transferência de veículos, selos de cartório e conseguiu transferir o carro de duas vítimas”, relata a delegada.

O acusado será encaminhado para o centro de triagem de Viana e responderá por estelionato, falsificação de documentos públicos, inserção de dados falsos no sistema do Detran e ameaça. As investigações continuam, até mesmo para identificar quem foi a mulher que transferiu os veículos se passando pelas vítimas.

Cometários

  1. Aconteceu comigo também. Há um mês ele decidiu comprar meu carro, após um ano na oficina. Pediu 30 dias para efetuar o primeiro depósito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *