(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Na próxima sexta-feira, 23 de novembro, acontece mais uma edição da Black Friday no Brasil, quando o comércio eletrônico oferece um universo de promoções com descontos generosos que o consumidor pode aproveitar para antecipar as compras de fim-de-ano ou mesmo adquirir algum produto que estava na lista de sonhos e o preço não era convidativo.

A DigiCert Inc, como fornecedor líder de certificados de segurança, o que garante 9 em cada 10 principais sites de comércio eletrônico nos Estados Unidos, reforça a importância de se acessar sites seguros para as compras pela Internet. “Bancos, cooperativas de crédito e outras instituições financeiras são os principais alvos de ataques de phishing e outros golpes direcionados ao roubo de identidade na esfera financeira. Portanto, é essencial dar a importância necessária aos certificados TLS e PKI de alta segurança para fornecer criptografia e autenticação de identidade que são vitais para transações comerciais na web “, explica Manuel Pavón, gerente de Canais para a América da DigiCert.

Esses certificados são protocolos projetados para a Internet que permitem a comunicação segura entre o cliente (independente do tipo de dispositivo eletrônico que estiver usando) e o servidor de uma aplicação web. O executivo da DigiCert reforça que a companhia tem uma visão de longo prazo, levando em conta a importância de ter uma excelente tecnologia em um dos principais setores, como o financeiro; bem como a forte experiência neste setor e um portfólio completo e exclusivo para atender às necessidades de seus clientes, é claro, com o apoio de uma ampla rede de distribuição global, entre outros pontos fortes.

O PCI Council (Conselho de Padrões de Segurança da Indústria de Cartões de Pagamento), que supervisiona transações com cartões eletrônicos, requer o uso de certificados TLS. Além disso, o Google Chrome e outros navegadores também exigem https para que as páginas não recebam um aviso “não seguro”. Tanto as empresas que aderem à iniciativa quanto os usuários que decidirem comprar sob esta modalidade devem estar preparados para ter e oferecer uma experiência confortável, prática e segura.

Vale lembrar que a Black Friday é a segunda data sazonal mais importante do Brasil, depois do Natal. Segundo pesquisa lançada pelo Google em novembro, 71% dos brasileiros afirmaram ter aproveitado já data de promoções – o número de adesões dos entrevistados aumentou ao longo dos anos: em 2013, apenas 13% tinham comprado um produto ou serviço até à data, 30% em 2014 e 55% em 2016. Além disso, 80% dos consumidores disseram que o Brasil fez tanto o processo de pesquisa como compras on-line, reforçando a necessidade de garantir a segurança no acesso aos sites de compras.

Além de comparar preços, é preciso que o consumidor esteja bem atento à questão da segurança de dispositivos eletrônicos utilizados para fazer pagamentos: é neste momento que os cibercriminosos aproveitam as brechas para executar phishing (sites fraudulentos que parecem os mesmos de um oficial), ou malware (arquivos que entram nos dispositivos e registram os movimentos do usuário, acessando senhas e informações de cartão de crédito privado ou outras formas de pagamento).

Confira as dicas para uma compra segura:

  • Escolha sites confiáveis e credenciados. Procure no início da barra de endereços o https: // onde o “S” certifica que o site é seguro. Deve aparecer, ainda, o símbolo de cadeado fechado nos diferentes navegadores (Veja imagem). A cor verde é também um indicador de segurança assim como o nome da empresa na barra do navegador: isso significa que o site visitado tem um certificado EV, que fornece proteção máxima e garante que você está visitando o site correto

sites-segurança

  • Tenha cuidado com links em redes sociais e e-mails, pois é muito comum ver mensagens de e-mail vulneráveis ou publicações infectadas. Recomenda-se não clicar diretamente neles, mas abrir o navegador e acessar o site manualmente e verificar se a promoção é verdadeira.
  • Procure não fazer transações comerciais através da Internet em redes públicas ou inseguras, como aeroportos, shopping centers, cafés, etc. Será melhor ter certeza de que você está em uma conexão Wi-Fi segura para compras.
  • Compre somente em sites que tenham sistemas de pagamento reconhecidos e usuais, especialmente quando se trata de aplicativos, já que muitos armazenamentos de aplicativos de terceiros ocultam malware, personificando aplicativos legítimos.

Pedro Cunha
digital@eshoje.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *