tonturaA queixa de ‘tontura’ é a segunda mais frequente do ser humano, mas ainda representa um desafio para muitos médicos. Não é raro que pacientes com esta reclamação permaneçam muito tempo sofrendo antes de encontrar o correto tratamento.

“Labirintite verdadeira é uma doença raríssima, porém muito frequentemente responsabilizada, equivocadamente, em episódios de tontura. Há, na verdade, diversas doenças diferentes do labirinto, cada uma delas com um tratamento específico, e a labirintite não está nem entre as 10 causas mais frequentes detectadas nos consultórios”, revela o médico Márcio Salmito, coordenador do Centro de Tontura do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

De acordo com Salmito, muitos pacientes recebem o diagnóstico de labirintite como se houvesse uma única entidade causadora de sintomas labirínticos, quando, na verdade, diversas doenças diferentes do labirinto humano podem ser a causa. “Chamar de labirintite traz a impressão falsa de que só há uma doença do labirinto e leva ao uso de medicamentos que muitas vezes podem até piorar o caso. Além disso, muitos pacientes descrevem como tontura sintomas decorrentes de problemas cardiovasculares e neurológicos”, afirma o otorrinolaringologista.

Por conta deste risco, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial decidiu apoiar o “Dia da Tontura”, comemorado em 22 de abril, e tendo como tema: Pare de falar labirintite. “Ao longo deste mês estão sendo promovidas diversas palestras e cursos médicos de esclarecimentos do assunto, bem como transmitindo à população em geral informações importantes e alertas sobre essa queixa tão frequente e muitas vezes diagnosticada equivocadamente. Se você conhece alguém que recebeu essa avaliação de labirintite, convide-a a entrar no site da campanha e ler as informações de conscientização, assistir aos vídeos e difundir as informações”, finaliza Salmito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *