escola_viva-207024O número de solicitações de matrículas, para o próximo ano letivo, na rede estadual de ensino cresceu 10% em comparação com 2017. Os dados foram apresentados, na tarde desta sexta-feira (29), pelo secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha, que na oportunidade também anunciou as novidades para 2018.

Durante o período de Chamada Pública Escolar para o ano letivo de 2017, foram 227 mil solicitações de matrículas ao todo. Já neste ano, esse número subiu e foram mais de 250 mil solicitações para 2018. Desse total, mais de 73 mil foram de rematrícula, mais de 60 mil de pré-matrícula e 16 mil de transferência interna.

“Em 2017 passamos a fazer a matrícula totalmente online. Foi um grande aprendizado, pois vimos que dessa forma as famílias participam muito mais da vida dos seus filhos. Para o ano que vem, foram 250 mil solicitações e temos capacidade para atender até 350 mil estudantes. Temos escolas para todos, não é por falta de vagas que adolescentes e jovens estão fora da escola”, comentou o secretário.

Dentre os pedidos de matrículas, para o próximo ano, 6.464 são de estudantes vindos da rede privada de ensino. Já as escolas mais requisitadas da Grande Vitória foram: Prof. Renato José da Costa Pacheco, em Vitória, Escola Viva Joaquim Beato, na Serra, Escola Viva Assisolina Assis de Andrade, Vila Velha, Hunney Everest Piovesan, Cariacica, e Escola Viva José Leão Nunes, também em Cariacica, que inicia as atividades em tempo integral em 2018. 

Escola Viva
Dando continuidade à expansão do Programa Escola Viva, 20 mil vagas de educação em tempo integral serão ofertadas no próximo ano para os estudantes capixabas em mais 15 novas unidades. Agora, ao todo, são 32 unidades Escola Viva. A Grande Vitória contará com mais seis novas Escolas Vivas. São elas: Fernando Duarte Rabello, em Vitória; Galdino Antônio Vieira, em Vila Velha; Novo Horizonte, na Serra; Itagiba Escobar, José Leão Nunes e Maria Penedo, em Cariacica.

No interior do Estado, municípios de Norte a Sul também foram contemplados com a educação em tempo integral. Em Aracruz, São Gabriel da Palha, Barra de São Francisco e Baixo Guandu as vagas serão ofertadas nas escolas Monsenhor Guilherme Schmitz, São Gabriel da Palha, João XXIII e Baixo Guandu, respectivamente.

Em Cachoeiro de Itapemirim, que desde 2016 possui a Escola Viva Francisco Coelho Ávila Junior, a segunda unidade Escola Viva no município ficará na Liceu Muniz Freire. Já no município de Alegre, os projetos de vida serão construídos na Aristeu Aguiar, em Mimoso do Sul, na Antônio Acha, em Itapemirim, na Washington Pinheiro Meirelles e em, Anchieta, no Sesi-Senai.

“O nosso compromisso com a Educação é para formar uma juventude de alto nível de conhecimento e preparada para o mundo de hoje. A Escola Viva é mais que uma escola. É uma ferramenta importante de transformação social, que tem o compromisso de fazer os estudantes buscarem os seus sonhos”, frisou Haroldo Rocha.

Toda estrutura física e de pessoal já está sendo viabilizada para as novas unidades, onde os estudantes terão um período de turno único, com permanência de 9 horas e meia na escola. As unidades têm laboratórios, salas temáticas, auditório, biblioteca, refeitório, quadra poliesportiva e ginásio esportivo.

Transformar a escola numa realidade participativa e democrática, onde os estudantes discutem e buscam soluções para os problemas do dia a dia, esse é objetivo do Jovem de Futuro.  Em 2018, 250 escolas serão atendidas com o programa.

Visando garantir que as aulas previstas no calendário letivo e os respectivos conteúdos curriculares sejam efetivamente aplicados para os estudantes da rede estadual, a Sedu irá promover o projeto “Aula Dada”. Com isso, cada unidade de ensino terá um plano de ação e poderá recrutar até um profissional para substituir um professor ausente em sala de aula.

“Durante o ano letivo de 2017 registramos na rede estadual uma média de 234 ausências por escola. Considerando que são 200 dias letivos no ano, todos os dias há pelo menos um professor ausente por turno de aula. O Aula Dada irá criar procedimentos padronizados de conduta da direção escolar para lidar com essas ausências de docentes, garantindo a aprendizagem dos estudantes”, destacou o secretário.

Cometários

  1. Bom dia eu tenho de trabalhar na secretaria de educação do estado e já tive a honra de atender o ex secretário Klinger Barbosa o atual secretário Aroldo Rocha o presidente do conselho de Educação o senhor Artelirio Bolsanello a sub secretaria Maria José e atualmente atendo a sub secretaria a senhora Tânia e para mim é um prazer muito grande pois vi este desejo nascer no coração do secretário Aroldo pois ele é um gestor um administrador é um idealizador de sonhos para muitos jovens e adolescentes pois qual é o pai ou mãe que não terá o orgulho em ver seu filho formado em uma escola estadual pois antigamente eles tinham vergonha de estudar nas escolas públicas hoje temos alunos da melhores escolas particulares querendo uma vaga nas nossas escolas muitos vão para escolas particulares por estatos pois ela só dão o estatos no nome e as estaduais dão um estatos no seu futuro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *