Merenda - Foto SecomGerenciar uma dieta com restrições alimentares, não é fácil. Imagine controlar a alimentação de uma criança. Por isso todos cuidado é pouco quando as crianças vão para as creches. A atenção tem que ser redobrada para que os pequenos não acabem ingerindo alimentos que desencadeiam problemas de saúde. É o caso das crianças celíacas ou as que têm intolerância à lactose.

Em Jardim Camburi, visando melhorar a qualidade de vida destas crianças, a creche Recriar adotou uma medida que está funcionando muito bem: cardápio diferenciado para os estudantes com restrições alimentares. “Quando uma criança é matriculada fazemos uma reunião com os responsáveis. Ali, traçamos o perfil e definimos as ações que serão direcionadas exclusivamente para aquele aluno”, explicou a diretora pedagógica, Leila Milli.

A mãe, funcionária pública, Janine Gomes, 35 anos, explica que as alergias da filha, Maria Luiza, 2 anos, começaram enquanto ela ainda mamava. “Hoje ela não pode tomar leite, comer ovo ou alimentos com corantes, soja, mamão, cenoura e outros. Para evitar as contaminações e reações, a Recriar providenciou, por exemplo, utensílios como liquidificador, talheres e copos de uso, exclusivo, da Maria Luiza”, contou.

Janine ressalta que está bem apreensiva, pois sua filha irá estudar meio período em uma creche pública. “Ela começa este ano no CMEI Ana Maria, meio período. Já fui até lá e conversei com a diretora sobre as restrições alimentares. Agora, estou aguardando um retorno. Caso não consiga ser atendida, ela não poderá estudar lá”, finalizou.

“A criança com restrição alimentar é uma criança normal que não pode e não deve ser tratada de forma diferente das demais. Há inúmeras estratégias que usamos para que ela se sinta inserida em momentos de refeições coletivas, como recreio, festas de confraternização, etc”, completou Leila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *