robô guia2Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente existem 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência em todo país.

Desse total, cerca de 1 milhão estão no Espírito Santo. Com o intuito de buscar soluções e políticas de integração, inclusão e acessibilidade, está acontecendo o Reconecta, que começou nesta sexta-feira (30) e vai até o domingo (3).

O Reconecta está oferecendo também diversas palestras com eixos de trabalho e cidadania; cultural, social para o desporto; saúde, técnico, científico e acadêmico. No local também está acontecendo à apresentação de produtos voltados para mobilidade e acessibilidade do público.

Um exemplo apresentado é a robô Lysa, uma cão guia elétrica que pesa cerca de dois quilos e emite vibrações e sinais sonoros para que os deficientes visuais possam detectar também obstáculos superiores. Ele foi criado pela CEO Neide Sellin, após demanda de uma aluna de robótica. “Ele detecta objetos a direita, objetos a esquerda, objetos acima e buracos, e informa ao usuário quais as dificuldades dele do dia-a-dia, para sua locomoção”, explica.

Durante estes quatro dias de evento estão acontecendo também registros para o Cadastro Unificado de Dados das Pessoas com Deficiência do Estado do Espírito Santo (Cadef). O sistema é essencial para que empresas com mais de 100 funcionários possam cumprir com a lei de manter uma porcentagem de pessoas nessas condições.

A iniciativa, que está em sua primeira base estadual, facilita a atuação do Ministério Público do Trabalho, que diversas vezes se depara com alegações das empresas de possíveis dificuldades para encontrar profissionais qualificados ou dados suficientes. O sistema promete unir os dados de diversos setores empregatícios como os Sines.

“O Cadef é uma iniciativa do ministério público a partir da necessidade que nós temos de colocar em contato as pessoas com deficiência e potencialmente empegáveis, com as empresas que tem os empregos disponíveis para essas pessoas com deficiência e permitir que haja um encontro delas, mediado por este grande cadastro que nós estamos trabalhando junto com entidades parceiras”, explica o chefe da procuradoria geral do trabalho Valério Heringer.

Segundo o procurador, a expectativa é que esse cadastro possa estar disponível em cerca de 120 dias para que os empresários possam convidar as possíveis contratações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *