Marina Zanchetta

Marina Zanchetta é pedagoga, poetisa e compositora de samba enredo. Amante do carnaval, participou como foliã, integrante de harmonia, ala coreografada, ala de baianas, além de voluntária em barracão de fantasias e carros alegóricos. Atualmente é Mestre de Cerimônia de casais de mestre-sala e porta-bandeira.

jorge maykoOlá amantes do carnaval! Dizem que a primeira impressão é a que fica, acho que é por isso que sempre buscamos saber quais são os segredos e novidades desse quesito. Falarei sobre o quesito que abre a escola de samba, que tem a função de dar inicio ao show saudando o público e apresentando sua escola de samba. Mas não falarei apenas das mágicas que eles realizam nos desfiles, os 15 integrantes (no mínimo 10) e o coreógrafo de cada escola realizam muito mais mágicas, sobre elas que falarei um pouco hoje.

Nas mãos desse grupo estão trinta pontos, nos quais os jurados devem observar dentre outras coisas: os fundamentos, a plástica artística, a sintonia, a harmonia visual do conjunto e o acabamento de fantasias e tripé (quando houver). Não realizar alguma dessas ações ou cometer erros na frente da cabine de jurados vai tirar pontos importantes para a disputa do título de melhor escola de samba do carnaval.

andre castroNos últimos 10 anos, inovações aconteceram no quesito comissão de frente, entretanto a tradição de apresentar a escola sempre deve ser mantida. Recorri ao coreógrafo André Castro da Novo Império e que tem 18 anos de avenida para citar algumas das inovações utilizadas por ele em comissões de frente, são elas: o trabalho com bailarinos profissionais voluntários, ser o único coreógrafo a ficar 15 anos numa mesma agremiação e ter como parceiro Carlinhos de Jesus no desfile no Sambão do Povo.

O carnavalesco e coreógrafo Paulo Balbino que completará 26 anos trabalhando com comissão de frente citou dentre as inovações utilizadas por ele: a utilização da coreografia Thriller de Michael Jackson no enredo sobre espetáculos, índios apenas de tapa sexo no enredo sobre a história do ES e 30 pessoas participando da comissão de frente, mas com apenas 15 visíveis ao público e jurados. As notas e premiações conquistadas por suas comissões nos últimos anos são mostra de que seu trabalho teve bons resultados.

Mas para que tudo dê certo no dia do desfile, já sabemos, é preciso muito ensaio. Por conterem algumas surpresas, geralmente as comissões de frente se encontram em locais fechados, longe do grande público que frequenta as quadras e até mesmo dos integrantes mais atuantes da agremiação. E frequentemente cada um dos 15 integrantes arca financeiramente com os próprios custos de transporte, lanche ou equipamento para ensaio. Visto que muitas agremiações não têm recursos para tal finalidade.

É comum um coreógrafo ter o mesmo grupo de fiéis bailarinos, dançarinos ou voluntários. Pessoas apaixonadas não apenas pela dança, mas também pelo carnaval que apresentam. Como é o exemplo de Ernesto Ulacia que já fez parte do Balé Nacional de Cuba e também de Geraldine Cerutti do Balé da Ilha, profissionais que mergulham no universo carnavalesco. E o exemplo de Any Cometti, que integrou recentemente à comissão de frente e havia atuado como ritmista em escola de samba. Any celebra o fato de não haver distinção no trabalho com bailarinos profissionais ou pessoas sem experiência em dança.

comissão de frente mugInúmeras coisas maravilhosas e frustrantes acontecem nesses grupos. Percorrendo quadras e ensaios, posso afirmar: é incrível conversar com Patrick Alochio na quadra da MUG e ver a satisfação do trabalho junto a Rodrigo Carvalho; é estimulante ver a dedicação diária de Jorge Mayko nos ensaios do Sambão do Povo repassando várias vezes a coreografia para que tudo aconteça conforme planejando; é curioso esperar ansiosa pela próxima ousadia de George Falcão que no ano passado uniu Comissão de Frente e Casal de Mestre-Sala e Porta Bandeira numa mesma coreografia;…

Confesso que aguardo Mauro Marques fazer o “corujal” da Unidos de Jucutuquara tremer de emoção (sou fã incondicional do trabalho desse grande professor) e Marcia Regina Cruz abrir a Boa Vista com seu carisma inigualável refletido na beleza dos movimentos de uma coreografia. Torço para que fantasias e alegorias deem certo, que as intempéries climáticas não atrapalhem nenhuma evolução.

Vou ficando por aqui, aguardando o desfile para ver a mágica final de cada comissão de frente! Obrigada coreógrafos e integrantes das comissões de frente pela dedicação ao carnaval capixaba! Enquanto isso, vou curtindo os ensaios técnicos que estão rolando lá no Sambão do Povo. Onde posso provar um pouquinho do que acontecerá no desfile. Até breve!

Cometários

  1. Marina, o que dizer depois de ler palavras que nos emocionam?! Obrigado pelo reconhecimento ao nosso trabalho, afinal, somos apenas instrumentos de Alegria e Felicidade nos poucos minutos que estamos na Avenida!!!!! Que Deus esteja conosco e que todos consigamos a devida valorização tanto das Agremiações, quanto dos jurados ✨✨

  2. Parabéns Marina Zanchetta pela valorização do carnaval de Vitória e poder trazer ao público um pouco e conhecimentos do que é produzido no nosso carnaval . …e poder falar do primeiro quesito Comissão de frente. ..que através de seu bailado. …onde se utiliza técnicas da dança, circo, teatro e performance entre outros a história do enredo e apresentada ao publico no maior palco de rua. ….a passarela do samba.

    1. Cleverson, me empolga ver a quantidade de profissionais envolvidos na apresentação de uma comissão de frente! Tantos talentos em tantas áreas. Dança, teatro, circo, mágica, ou simplesmente pessoas apaixonadas. O amor faz o carnaval!

    1. Cida Ramaldes, ótima observação! As comissões se preocupam em formas e desenhos que possam ser vistos do alto, tanto por jurados, quanto por quem está na arquibancada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *