(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Nas últimas semanas, a alta do dólar pegou muitos brasileiros de surpresa, sobretudo, os que planejavam aproveitar os dias de férias para viajar. Pensando nisso, o apresentador do programa de viagens na web Flávio Fusco, listou alguns locais e passeios para se desfrutar mesmo com a alta da moeda norte-americana.

De olho no destino: todo destino internacional, direta ou indiretamente, é baseado pela cotação do dólar. A sugestão é evitar países onde a moeda é a base para este tipo de cálculo, como EUA e Cuba, além dos que integram a zona do Euro e o Reino Unido, pois, nestes casos, as suas moedas acompanham, na maioria das vezes, a subida do dólar. Portanto, a dica é dar preferência para países na América Latina, em primeiro lugar, por estarem mais perto, e, segundo, por terem moedas com cotações próximas às nossas no sentido de valorização – explica Fusco.

Cartões postais: se o destino escolhido for alguma cidade brasileira, Fusco opina que viajar pelo país, muitas vezes, fica mais caro do que ir para o exterior, dependendo da época ou temporada da viagem. No entanto, o apresentador do #FuicomFusco destaca que os destinos nacionais, como Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, regiões Sul e Nordeste, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, e a cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, são lindíssimos e que, portanto, não podem deixar de fazer parte do roteiro.

Free Walking Tour: para o turista que gosta de explorar cada detalhe da viagem, a boa notícia é que há diversas possibilidades de diversão em que se pode gastar pouco. Em muitos locais, existem opções de free walking tour, que são passeios totalmente gratuitos realizados em grupos. Além disso, muitos destinos oferecem opções de atrações turísticas que não são pagas, como praias, trilhas, praças, igrejas e museus.

Converse com moradores do destino: cabe sempre fazer uma pesquisa sobre o destino ou local onde está programada a viagem. E, como sempre digo, converse com a população local. Eles sempre saberão dicas importantíssimas para você ter uma visão mais próxima possível da deles, e o melhor, de uma forma econômica. Afinal, os moradores possuem todas as dicas quentíssimas de como fazer tudo de forma omitizada (de tempo e grana) – recomenda Fusco.

Antecipe a troca da moeda: E por falar em economia, para o viajante que irá realizar uma jornada internacional, um detalhe muito importante diz respeito à troca da moeda para o local que se pretende viajar. A dica é trocar com antecedência e aos poucos.

– Na prática, funciona assim: se você vai viajar em julho, a partir de janeiro, por exemplo, tente trocar um pouco da moeda todo mês. Dessa forma, por mais que a cotação sofra variações (para cima ou para baixo), você terá, ao final, uma média de todas as vezes que trocou e dificilmente será prejudicado por uma alta repentina. Se você deixa para converter tudo de uma única vez, pode ser que, naquele dia, a moeda tenha subido e você, por azar, pague um valor excessivo no câmbio – diz.

Além de orientações sobre como converter o dinheiro sem sofrer no bolso, Flávio Fusco dá ainda outras orientações sobre os cuidados que são necessários a fim de que o aumento do dólar não reflita tanto no planejamento da viagem.

Pesquise as melhores datas: as escolhas do destino e da época fazem toda diferença. Ir, por exemplo, para os Estados Unidos nas férias escolares ou para a Europa no verão significa encontrar lugares muito cheios e, é claro, pelo fato da demanda ser alta, os valores também vão subir. Caso tenha flexibilidade de datas, procure épocas fora de alta temporada. Com certeza, irá economizar de uma forma absurda. Pesquisar o destino e se programar com antecedência faz toda diferença na hora de aproveitar a viagem! – pontua.


Pedro Cunha
digital@eshoje.com.br 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *