20170302163556470164iAo longo de mais de cinquenta anos de uma premiada carreira internacional, Milton Nascimento já abraçou diversas causas sociais e militou ao lado dos grupos ambientais mais importantes do mundo. O caráter político de sua música estão evidentes desde o primeiro disco, “Milton Nascimento” – lançado em 1967 – álbum revolucionário que completa 50 anos em 2017. E que será apresentado aos fãs capixabas em 21 e outubro na Área de Eventos do Shopping Vila Velha.

História
De lá pra cá, Milton realizou projetos aclamados pela crítica ao mesmo tempo em que despertava a opinião pública para a situação de índios (TXAI), negros (Missa Dos Quilombos), trabalhadores sem terra (Levantados Do Chão), mulheres (Pietá) e crianças (Ser Minas Tão Gerais). E, enquanto cantava pelo mundo seus grandes sucessos, nunca deixou de lado a mensagem social de sua música.

Numa trajetória festejada não somente com cinco estatuetas do Grammy, mas também com diversos prêmios ecológicos como o Rain Forest (O Nobel da Ecologia), além de comendas – é doutor honoris causa no Brasil e nos EUA – e outras homenagens, Milton jamais havia feito nos palcos algo que ficasse em evidência todas as causas de que tomou frente durante a carreira.

Sendo assim, a proposta deste concerto é unificar as várias lutas de sua biografia num único e emocionante espetáculo. Tudo de uma forma nunca antes vista, com um repertório que passa pelas principais faces de um dos artistas mais combativos quando o assunto é injustiça social.

Neste grave momento de crise política no país, nada seria mais forte do que ter Milton Nascimento nos palcos, com sua mensagem de esperança num mundo melhor e, principalmente, num homem melhor. Temática social presente no repertório é a marca do mais novo projeto do artista para 2017, ano em que seu primeiro disco – “Milton Nascimento” – completa cinquenta anos. Ava Nheyeyru Iyi Yvy Renhoi, ou, Semente da Terra, este é o nome que Milton Nascimento recebeu de 37 lideranças espirituais da Nação Guarani Kaiowá numa cerimônia realizada em 2010.

O nome de batismo Guarani, concedido para pouquíssimas pessoas nascidas fora da tribo – surgiu a partir da percepção que os índios tiveram ao olhar uma foto de Milton. Nenhuma das lideranças jamais tinha ouvido falar dele antes deste evento, que reuniu índios de várias etnias em Campo Grande (MS), onde Milton se apresentou para sul-mato-grossenses e comunidades indígenas.

E após uma discussão fechada de duas horas entre líderes Guarani em que a foto de Milton passava de mão em mão, caciques e pajés – que estavam num camarim – entraram durante o show de Bituca e fizeram o batizado no palco. Semente da Terra, nome desenhado pelos índios naquela noite pantaneira de maio, foi escolhido para sacramentar a volta de Milton ao encontro direto de seu público, após um ano de período sabático.

Com direção musical de Wilson Lopes (que também toca guitarra e violão), o show conta ainda com a presença de seu irmão, Beto Lopes (sete cordas), do baterista Lincoln Cheib, além do contrabaixo de Alexandre Ito, dos vocais de Barbara Barcellos e dos metais de Widor Santiago.

O repertório foi escolhido através de uma seleção com forte conotação política e social que foi sendo afiada em suas três últimas turnês: “Uma Travessia – 2012”, “Linha de Frente” – em parceria com Criolo em 2014, e a Tour “Tarde”, realizada em 2015. Ter colocado o nome “Semente da Terra” neste novo show, também tem relação direta com a campanha de Milton – iniciada ainda em 2016 – que pretende repassar parte do lucro obtido com a venda de camisetas de sua marca (Nascimento) diretamente para tribos Guaranis de Mato Grosso do Sul.

O presente pode não ser muito promissor, ainda mais na mão de quem hoje controla céus, seja em Brasília, na Avenida Paulista ou no Rio. Mas ainda existe uma força, um lapso de ânimo que conduz os homens de coragem antes da “Queda do Céu”, como profetiza Davi Kopenawa, caso ambições de uma minoria usurpadora continue espalhando cartas bomba e genocídios: “A floresta está viva. Só vai morrer se os brancos insistirem em destruí-la. Se conseguirem, os rios vão desaparecer debaixo da terra, o chão vai se desfazer, as árvores vão murchar e as pedras vão rachar no calor. Então morreremos, um atrás do outro, tanto os brancos quanto nós. Todos os Xamãs vão acabar morrendo. Quando não houver mais nenhum deles vivo para sustentar o céu, ele vai desabar”.

A música é a mensagem
Desta forma, Milton e banda nos trazem, através da música, uma reflexão de dias extremos – como os atuais. Porém, cheios de esperança – ainda mais fortes. E, através de canções que marcaram profundamente 50 anos de história a partir da primeira gravação de Travessia, Milton chega em 2017 renovado, com a força de seu canto, sua raça, seus sonhos e, principalmente, sua coragem.

SERVIÇO:
MILTON NASCIMENTO
Local: Área de eventos do Shopping Vila Velha
Endereço: Av. Luciano das Neves, 2418 – Divino Espírito Santo, Vila Velha – ES
Data: 21 de outubro (sábado)
Horário: Abertura dos portões: 20H30 – Inicio do show: 22H
Ingressos: Cadeira: Setor Prata: R$ 140,00 (inteira) e R$ 70,00 (meia) e Setor Ouro: R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia), Mesas: A partir de R$ 700,00 (para 04 pessoas)
Pontos de venda:
VITÓRIA: Shopping Vitória – JAKLAYNE JOIAS e METAL NOBRE ACESSÓRIOS, Praia do Canto – METAL NOBRE ACESSÓRIOS, Shopping Jardins – METAL NOBRE ACESSÓRIOS e Centro da Praia – METAL NOBRE ACESSÓRIOS
VILA VELHA: Área de eventos Shopping Vila Velha, Shopping Praia da Costa – JAKLAYNE JOIAS e METAL NOBRE ACESSÓRIOS, Shopping Vila Velha – JAKLAYNE JOIAS e METAL NOBRE ACESSÓRIOS e Boulevard Shopping Vila Velha – METAL NOBRE ACESSÓRIOS
SERRA: Shopping Mestre Álvaro – JAKLAYNE JOIAS e METAL NOBRE ACESSÓRIOS, Laranjeiras – JAKLAYNE JOIAS E METAL NOBRE, e Serra Sede – METAL NOBRE
CARIACICA: Campo Grande – JAKLAYNE JOIAS e Shopping Moxuara – METAL NOBRE
GUARAPARI: Centro – SOFT MODAS
LINHARES: Centro – METAL NOBRE ACESSÓRIOS
Classificação:16 anos

Cometários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *