colegio curitiba

Um colégio de Porto Alegre promoveu um “recreio temático” com o tema “Se nada der certo”. Os alunos foram vestidos de atendentes, empregadas domésticas, garis, vendedores autônomos, entre outras profissionais. Nas fotos, nenhum aluno foi vestido de empresário ou político. O projeto gerou repercussão negativa nas redes sociais esta semana, já que para muitos a atitude da escola menospreza tais profissões, e passa a mensagem de que esses trabalhadores não deram certo na vida.

Segundo o Colégio Marista Champagnat, de Porto Alegre, conforme nota, o projeto aconteceu em 2015, e não foram realizadas outras edições por entender “que a temática não era apropriada”. A nota informa ainda que as fotos foram retiradas do ar para preservar a identidade dos alunos. Veja abaixo a íntegra da nota.

“Bizarro mesmo uma escola promover o preconceito e incentivar os alunos a se sentirem superiores a outros trabalhadores. Estou assustada, não entendo como alguém que trabalha na área educação possa concordar com isso no colégio… muito triste!”, comentou um internauta.

Outro internauta disse: “o pior não é o fato de não saberem qto os profissionais recebem pelo seu trabalho, o erro é achar q ter uma profissão q supostamente ganha menos é “dar errado”. Eles poderiam ter ido de empresário ou político corruptos. Mas vai ver eles não consideram q ser corrupto é “dar errado”. Esse é o Brasil, vc vale mais pelo status q possui (não importando se foi conquistado no migué e malandragem) do q pelo caráter”,

O outro Lado

“Nota de esclarecimento: Recreio Temático

Nesta segunda-feira, 5/6/2017, substituímos as fotos que havia neste espaço pela nota abaixo. Essa atitude tem como premissa preservar a imagem de nossos ex-alunos tendo em vista a repercussão de um fato ocorrido em 2015. Leia a nota de esclarecimento:

O Colégio Marista Champagnat, de Porto Alegre, esclarece que o recreio temático aconteceu no ano de 2015 com estudantes do 3º ano do Ensino Médio. No mesmo ano, a partir de uma reflexão realizada com a comunidade educativa, entendemos que a temática não era apropriada, por isso não ocorreram outros episódios em anos seguintes.

Temas como esse, que confrontam valores e profissões, não são condizentes com a nossa proposta pedagógica, que tem como premissa o respeito às pessoas. Lamentavelmente, a atividade aconteceu e, por isso, pedimos nossas sinceras desculpas.

Essa questão seguirá em discussão com os nossos estudantes, pois entendemos que o diálogo é sempre o melhor caminho para o aprendizado”.

 

 

 

 

Cometários

  1. Triste…. muito triste e revoltante que uma instituição de ensino no ano de 2017 promova o preconceito e o desmerecimento de certas profissões. Aprendi em casa desde cedo que TODAS profissões tem seu devido valor e importância! TODAS!! Se fosse com minhas filhas retiraria dessa escola na mesma hora e divulgaria que a instituição referida não ensina os verdadeiros valores para formar bons cidadãos.
    Muito triste…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *