Lucas Rezende

Lucas Rezende é jornalista e titular da Coluna Fonte Grande, publicada de segunda à sexta. Notas e sugestões: fontegrande@eshoje.com.br

O deputado estadual Josias Da Vitória enviou à Procuradoria-Geral de Justiça do Estado uma denúncia sobre, segundo ele, irregularidades verificadas no Cais das Artes após visita técnica. Diz Da Vitória que encontrou equipamentos adquiridos entre 2014 e 2015 se degradando com o tempo por estarem mal acomodados. Ele quer uma culpabilidade por negligência na conservação do patrimônio público. A história começou assim: chegaram aos ouvidos do deputado denúncias sobre o acomodamento dos tais equipamentos. Ele, então, solicitou uma visita técnica à obra. Chegando lá, encontrou a degradação de equipamentos de ar-condicionado, escadas rolantes e tubulação.  


Vamos conversar
O deputado estadual Marcelo Santos também está tirando uma casquinha da falta de locais para se pagar conta de energia. O pedetista propôs uma reunião entre representantes do Banestes, EDP, Procon e Casa Civil. É que, como se sabe, desde o dia 3 o Banestes suspendeu o recebimento das faturas da EDP na rede de correspondentes Banesfácil. A população, lógico, é quem sofre.

Goteira da incompetência

O novo Aeroporto de Vitória não passou no teste das chuvas. Goteiras vazavam do teto do corredor central entre o estacionamento e a entrada do embarque, além de sair do enorme letreiro. Imagine se não tivesse custado mais de R$ 559 milhões e levado 16 anos para ficar pronto. Isso porque foi chuvica.

Vem pra rua

Uma empresa de armas químicas vai começar a oferecer às Secretarias de Segurança Pública um novo tipo de canhão que pode ser acoplado ao teto das viaturas policiais. Ele gira em 360º e é capaz de lançar 15 granadas de gás lacrimogêneo de forma sequencial. Péssimo momento para ser estudante da Ufes.

Essa é a turma, que espera em vão na porta da Prefeitura de Vitória, diálogo com o prefeito Luciano Rezende. São professores que pedem reajuste salarial
Essa é a turma, que espera em vão na porta da Prefeitura de Vitória, diálogo com o prefeito Luciano Rezende. São professores que pedem reajuste salarial

Vermelho, vermelhão
Um professor da Ufes estava no Rio, no Rival, no Centro, assistindo um concurso de drag queens quando uma das concorrentes tirou de sua calcinha um balão de coração. Durante a performance, o balão foi espremido, explodiu e jogou vermelho sangue em todo mundo da plateia. A turma da purpurina saiu de lá virada no Jiraya com as roupas todas manchadas. Na hora da votação para definir a campeã, a drag do sangue, lógico, foi escorraçada. Há testemunhas.

E minha camisa da Reserva toda branquinha?
Teve gente que foi à direção da casa reclamar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *