No mês em que o líder sul-africano Nelson Mandela completaria 100 anos, diversas homenagens foram prestadas ao Prêmio Nobel da Paz e primeiro presidente negro da África do Sul. Entre elas, estão duas exposições fora do continente africano: a do Museu de Direitos Humanos de Winnipeg, Mandela: Luta pela Liberdade, e a do Southbank Centre de Londres, Nelson Mandela: The Centenary Exhibition 2018, aberta na terça, 17, com a presença do duque e da duquesa de Sussex.

O Viagem listou uma série de lugares para conhecer a trajetória de Madiba, nome do clã e apelido carinhoso de Mandela. Além das duas exposições temporárias, há também os lugares permanentes que preservam sua memória, como os museus, as esculturas e os pontos históricos de Joanesburgo e da Cidade do Cabo, na África do Sul, onde Mandela nasceu e lutou durante toda a vida – luta que lhe rendeu, em 1993, o Nobel da Paz.

Outra novidade turística é a atualização do aplicativo Madiba’s Journey (Jornada de Madiba), criado pelo órgão de turismo do país, o South Africa Tourism, e renovado recentemente. Nele, há uma lista de lugares na África do Sul para quem quiser montar um roteiro e seguir os passos de Mandela e de outros líderes importantes da história do país. Cada lugar tem descrição (muitas já em português); a distância desde o lugar onde você está; recurso de Street View; fotos; áudio; e a possibilidade de compartilhar a atração com alguém.

Confira alguns dos lugares que contam a história de Mandela:

Londres – Nelson Mandela: The Centenary Exhibition 2018
Em Londres, o casal Meghan, duquesa de Sussex, e príncipe Harry, duque de Sussex, foram à abertura da exposição Nelson Mandela: The Centenary Exhibition 2018. A mostra explora os (…) Leia maisdiversos momentos da vida de Rolihlahla Mandela, primeiro nome de Madiba, dado por seu pai – ‘Nelson’ veio posteriormente, na época escolar. Do seu nascimento, em 1918, até sua morte, em 2013, traz histórias como a militância no Congresso Nacional Africano e a primeira visita oficial do líder sul-africano a Londres, em 1996, quando se encontrou com a Rainha Elizabeth. A exposição está no Queen Elizabeth Hall, no Southbank Centre, e é gratuita. Até 19 de agosto. Mais: southbankcentre.co.UK.

Londres: memorial em Westminster
Também em Londres, na emblemática Abadia de Westminster, Mandela tem seu nome gravado numa pedra do corredor central da nave da abadia. Também em sua homenagem, foi realizado um c (…) Leia maisulto no dia de seu aniversário, 18, com a presença de lideranças africanas e de integrantes de sua família, como Zamaswazi Dlamini-Mandela, neta de Madiba;

Winnipeg – Mandela: Luta pela Liberdade
O Museu de Direitos Humanos de Winnipeg, no Canadá, homenageia um de seus seis cidadãos honorários – sim, Nelson Mandela faz parte deste seleto grupo – com a exposição Mandela: Lu (…) Leia maista pela Liberdade. A mostra traz, entre outras curiosidades, uma réplica da cela onde o líder passou 18 dos 27 anos em que esteve preso e um muro onde se vê leis que legitimavam a segregação racial no apartheid, entre 1948 e 1994 – leia mais sobre no blog Canadá para Viagem. Mandela visitou o Canadá em 1990, mesmo ano em que deixou a prisão. Os ingressos para a mostra custam desde 6 dólares canadenses (R$ 18). Mais: humanrights.ca.

Joanesburgo – Constitution Hill
Viajar à África do Sul é fazer safáris, percorrer a Cidade do Cabo e curtir o clima descolado de Joanesburgo. Mas é também aprender mais sobre a história do país, que se confunde (…) Leia maiscom a de Nelson Mandela em muitos momentos e lugares físicos – que, claro, são pontos turísticos hoje em dia. Um dos mais conhecidos é o Constitution Hill, um complexo de prédios no subúrbio da capital, entre Braamfontein e Hillbrow. O local, construído para ser uma fortaleza, se transformou em prisão, onde foram mantidos, além de Mandela, ativistas como Winnie Mandela, segunda esposa do ex-presidente, Nikiwe Deborah Matshoba e Mahatma Gandhi, e depois chegou a ser bunker militar. Hoje é um museu cujo papel é preservar e contar as histórias da África do Sul desde o século 19. Ingressos desde 28,50 rands (R$ 8,30). Mais: constitutionhill.org.Za.

Joanesburgo: Casa Mandela

Em Joanesburgo, na mais famosa rua do bairro Soweto, a Vilakazi Street, estão as casas onde moraram Nelson Mandela e Desmond Tutu, primeiro negro a se tornar arcebispo da Igreja A (…) Leia maisnglicana da Cidade do Cabo e que, assim como Madiba, também fez parte do movimento pelo fim do apartheid. Ambos dividem, além do mesmo endereço e da mesma luta, o fato de terem recebido o Prêmio Nobel da Paz: Mandela em 1993 e Tutu em 1984. Madiba mudou para o local em 1946 e, durante os anos em que esteve preso, sua família permaneceu na casa, hoje aberta ao público como museu Casa Mandela – a casa de Desmond ainda é utilizada como residência da família. Ingressos a 40 rands para adultos estrangeiros (R$ 12);

Joanesburgo – Soweto

E mesmo se você não quiser pagar para entrar em nenhum local, basta percorrer o bairro do Soweto para se deparar com lugares e cenários que fazem parte da história e curiosos como (…) Leia mais este restaurante da foto, que fica ao lado da casa onde Mandela morou;

Joanesburgo – Orlando Stadium

Como esquecer da Copa de 2010 na África do Sul – sim, aquela da inesquecível Shakira e seu ‘Waka Waka’. Pois para quem gosta de esporte e de história, Joanesburgo, que sediou part (…) Leia maisidas do Mundial daquele ano, deve entrar no roteiro. Para além da bola rolando, foi em um de seus estádios, o Orlando Stadium, que Mandela discursou em 1994, ano das eleições democráticas na África do Sul. Neste mesmo ano, o estádio recebeu o funeral de outro importante líder sul-africano, Joe Slovo, presidente do Congresso Nacional Africano. Além do futebol, a casa também recebe partidas de rugby, bastante popular por lá;

Howick – Local da captura de Nelson Mandela

Foi no Capture Site, em KwaZulo Natal, que Nelson Mandela acabou sendo preso em 1962, acusado de conspirar para derrubar o então governo segregacionista. Mandela foi capturado enq (…) Leia maisuanto dirigia um carrro fingindo ser chofer – ele já estava clandestino à época -, no retorno da casa do presidente do Congresso Nacional Africano Albert Luthuli. Em sua homenagem, foi instalada ali uma escultura com barras de ferro que formam a imagem de seu rosto, obra do artista Marco Cianfelli. Por conta dos 100 anos, o espaço também está com uma exposição temporária sobre a vida de Madiba. Mais: thecapturesite.co.Za.

Cidade do Cabo – Ilha de Robben

Patrimônio Mundial, a Ilha de Robben foi serviu como prisão entre os séculos 17 e 20. Nela, Nelson Mandela passou 18 dos 27 anos em que esteve preso, junto com outros companheiros (…) Leia mais da luta pelo fim da segregação e da opressão racial. Mandela só foi solto em 1990 e se tornou o primeiro presidente negro do país em 1994. Na foto, plataforma na Cidade do Cabo com vista para a ilha

Bruna Toni
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *