Enquanto estamos preocupados com a qualidade da comida que comemos, depois de revelações aterradoras sobre as práticas nefastas dos grandes nomes da venda de carnes no país, tem coisa pior acontecendo entre uma pauta e outra, no Congresso Nacional.

Uma delas é a possibilidade de anistia ao Caixa 2 eleitoral, prática nefasta que elege políticos da pior espécie em todo o país.

Para quem não conhece a expressão, o Caixa 2 eleitoral é um caixa paralelo, que consiste de doações que não foram registradas pelo candidato e não são declaradas à Justiça Eleitoral, sendo esses montantes costumeiramente utilizados em negociatas para formar coligações, comprar candidatos – isso mesmo! e, também, comprar votos de pessoas menos favorecidas ou mal intencionadas, que não dão o devido valor à democracia.

Mas a “cara de pau” de alguns políticos não se resume ao período eleitoral: no início do mês, o relator da Comissão de Reforma Política da Câmara dos Deputados, o deputado Vicente Cândido (PT-SP), declarou que proporia em seu relatório a tipificação do crime de Caixa 2 com pena de 2 a 4 anos de prisão. Até aí, ok.

Porém, sobre a anistia, o parlamentar disse que não faria a inserção explícita da possibilidade de anistia a quem praticou esse ilícito, mas “espera-se que seja feita uma emenda que abra esse precedente, quando as propostas forem à votação”.

Ou seja: mais uma vez, as reformas em nossas leis, especialmente as mais importantes, que o povo clama para se tornarem realidade e trazerem de volta a justiça e a credibilidade do nosso sistema político estão sendo barganhadas para “salvar a pele” de criminosos detentores de mandato eletivo, que estão destruindo o país, os estados, e vários municípios em prol de seus próprios interesses.

E como você, eleitor, pode se proteger desse tipo de candidato? Busque sempre conferir as prestações de contas feitas à Justiça Eleitoral e o parecer desta sobre o que os candidatos apresentaram em relação aos seus gastos de campanha.

Muitos são inteligentes e realmente criminosos, conseguindo criar factoides e passar despercebidos nessa hora, graças a uma intrincada rede de corrupção. Mas ainda tem muito político que pensa que o povo é inocente e são esses que nós podemos começar a tirar da disputa, pois não fazem a menor questão de esconder aberrações gritantes em suas prestações de contas, por terem certeza da impunidade.

Convido você a fazer um exercício, desde já, para se aprimorar na caça aos políticos que gostam de Caixa 2: que tal se exercitar para 2018, analisando as prestações de contas dos candidatos nas últimas eleições?

Você perceberá muito facilmente por que é tão urgente para eles anistiar os criminosos e suas práticas que aviltam e denigrem a imagem do nosso país, mundo afora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *