A delegação do Brasil fechou nesta sexta-feira a sua participação na segunda posição geral dos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba, na Bolívia, e garantiu 62 vagas, em oito modalidades, de forma antecipada para os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, que serão realizados em 2019. A equipe brasileira, jovem e enxuta, contou com 316 atletas.

As modalidades que estarão na maior competição esportiva das Américas no ano que vem são boliche (equipe mista), handebol (masculino e feminino), caratê, pentatlo moderno, rúgbi (equipe feminina), tiro esportivo, triatlo (team relay) e wrestling.

Os Jogos Sul-Americanos, em Cochabamba, serviram para dar experiência aos competidores brasileiros, em sua maioria sub-23, que iniciam o ciclo olímpico de Tóquio-2020.

No total, o Brasil conquistou 204 medalhas – sendo 90 de ouro, 58 de prata e 56 de bronze. O grande vencedor da competição foi a Colômbia com 239 medalhas, sendo 94 de ouro. A Venezuela, em terceiro, fechou o pódio da classificação geral com 157 medalhas, 43 delas de ouro.

A última medalha brasileira veio nesta sexta-feira, no revezamento misto do pentatlo moderno. Maria Ieda Guimarães e Victor Barbosa marcaram 188 pontos para ficar com o ouro.

Um dos destaques da nova geração de atletas que se apresentaram na Bolívia é a nadadora Gabrielle Roncatto, de apenas 19 anos, maior medalhista dos Jogos Sul-Americanos. A paulista conquistou cinco medalhas, sendo quatro de ouro (200 metros livre, 200 metros e 400 metros medley e o revezamento 4×200 metros livre) e uma de prata (400 metros livre).

“Eu não esperava todas essas conquistas porque a equipe de natação não fez um trabalho específico para essa competição. Estou muito feliz com os meus resultados”, disse Gabrielle Roncatto.

A delegação brasileira também teve atletas experientes em Cochabamba, como os medalhistas olímpicos Arthur Zanetti (ginástica artística), Isaquias Queiroz e Erlon Souza (ambos da canoagem velocidade).

“Mesmo com uma delegação bem enxuta, formada basicamente por jovens atletas, conseguimos alcançar resultados muito interessantes, proporcionando que novos nomes surgissem no processo de maturação até os Jogos Olímpicos de Tóquio”, disse o chefe da missão brasileira, Marco La Porta, que também é vice-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

Os Jogos Sul-Americanos, em Cochabamba, contaram com 4.350 atletas de 14 países em disputas de 48 modalidades. A próxima edição será realizada em Assunção, no Paraguai, em 2022.

Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *