Os indicadores de pesquisa do crescimento econômico global enfraqueceram recentemente diante do comércio global moderado em meio a ações e ameaças relativas ao aumento das tarifas comerciais pelos Estados Unidos e possíveis retaliações pelos países afetados, apontou o Banco Central Europeu (BCE) em sem boletim econômico mensal. No entanto, “as perspectivas de curto prazo permanecem estáveis”.

De acordo com a instituição, as condições financeiras continuam a apoiar as economias avançadas, criando ventos contrários para as economias de mercados emergentes.

Na zona do euro, os rendimentos dos títulos soberanos subiram em meio a um aumento no risco global em relação ao avanço das taxas de juros e crescentes tensões nos mercados de dívida soberana de alguns países da área do euro, como a Itália.

Ainda assim, o BCE informou que indicadores de curto prazo indicam a continuidade da força no mercado de trabalho, que o consumo privado deverá apresentar crescimento persistente nos próximos trimestres.

Sobre as taxas de juros na zona do euro, a instituição reafirmou seu objetivo de mantê-las inalteradas até, pelo menos, o verão europeu de 2019 ou “pelo tempo que for necessário assegurar a contínua e sustentada convergência da inflação para níveis abaixo, mas próximo de 2% no médio prazo”.

Niviane Magalhães
Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *