Foto: Divulgação / Pexel
Foto: Divulgação / Pexel

No mês de dezembro, o valor da cesta básica da classe média capixaba sofreu alta média de 1,07%, atingindo o valor de R$ 1.480,53 e correspondendo a um acréscimo de R$ 15,68 nas despesas com alimentos. O valor da cesta básica da classe média em novembro foi de R$ 1.464,85.

O resultado final do indicador foi influenciado pelo aumento nos preços da batata inglesa (10%), da carne de boi (2,8%), do mamão tipo papaia (9,9%), da banana prata (3,5%) e do tomate comum (8%). O calor intenso e o aumento da demanda no final do ano influenciaram a alta.

No entanto, no ano de 2017, o recuo médio registrado no índice que mede a variação de preços dos trinta produtos que formam a cesta básica foi de – 9,02% . O resultado final do índice no ano de 2017 foi influenciado pela expressiva queda no preço do feijão preto e arroz tipo I. A boa safra de grãos colhida no ano e o clima ameno nas regiões produtoras são as principais causas do recuo de preços na maioria dos produtos. O gráfico 1 mostra a evolução histórica da cotação da cesta básica da classe média entre dez/16 e dez/17.

O custo médio da cesta pesquisada pelos alunos do curso de administração da Faculdade Doctum de Vitória em dezembro/17 foi de R$ 1.480,53, representando uma economia para o consumidor capixaba de R$ 146,78 em relação à cesta pesquisada no mês de dezembro/16 que teve registro de R$ 1.627,31 no custo.

A queda de – 9,02% é a maior já observada nos quase 11 anos de pesquisa da cesta básica. Em 2009 o recuo médio registrado na cotação da cesta foi de -3,38%.

COMPORTAMENTO DOS PREÇOS NO ANO DE 2017

No período de janeiro a dezembro de 2017 o comportamento dos preços foi o seguinte;

– O recuo de preços predominou em 24 (vinte e quatro) produtos da cesta.
– Apenas 06 (seis) itens da cesta básica tiveram majoração nos preços.

O suco de frutas em caixa de um litro lidera a alta no ano (25,5%), seguida do limão-taiti (14,2%), maracujá azedo (13,5%) e mamão tipo papaia (13,3%).

Em relação às quedas de preços no ano de 2017, lideram o feijão-preto (-35,3%), a banana-prata (-30,8%), o arroz tipo I (-25,2%) e a laranja-pera (-21,5%).

O comportamento da série histórica de setembro de 2015 a dezembro de 2017, observada no gráfico 2, sinaliza forte correlação entre o período turbulento do processo de impechment da ex-presidente Dilma Rousseff (dez/15 a ago/16) com a disparada dos preços dos alimentos consumidos pela classe média capixaba entre set/15 a jul/16.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *