pedofilo1Um pescador de 59 anos foi preso na manhã desta quinta-feira (22), por volta das 6 horas, no bairro Jesus de Nazaré em Vitória. Ele é acusado de abusar de duas sombrinhas, que na época do primeiro abuso, tinham sete e nove anos. O homem, que nega tudo, ameaçava as meninas e oferecia dinheiro para que elas ficassem caladas.

O acusado morava no segundo pavimento de uma casa onde a sobrinha mais velha morava com a avó. Já a mais nova morava na Serra, porém passava os dias na casa da mesma avó enquanto a mãe ia trabalhar.

O primeiro abuso aconteceu em outubro de 2016, quando o acusado puxou as meninas e as trancou dentro de sua casa. O homem tirou a roupa, mostrou suas partes íntimas, e deitou em cima da sobrinha de sete anos. Ao observar que a prima estava sendo abusada, a menina mais velha passou a dar vários socos no homem.

Depois do fato, o pescador ameaçou arrancar a cabeça e o coração das meninas, caso elas contassem sobre o ocorrido para alguém. E elas permaneceram caladas.

A descoberta

A segunda vez foi no dia 02 de fevereiro deste ano. As meninas brincavam juntas no período de férias escolares, quando atiraram um brinquedo na janela da casa do acusado. A menina mais velha resolveu então buscar o objeto e acabou presa pelo homem. A prima estranhou a demora e foi atrás da outra; também foi puxada pelo braço e a levada para o quarto do qual o acusado trancou a porta. O pescador abraçou a menina pela cintura, e fez carícias intimas em seus seios.

Neste mesmo momento, a mãe de uma das meninas já estava à procura delas, pois havia saído mais cedo do trabalho e foi buscar a filha. Como não a encontrou na casa da avó, chamou por conhecidos da família e procurou na casa dos amigos de escola da menina. Até que resolveu procurar na casa do acusado. Uma terceira pessoa foi até a casa do homem, e bateu na porta já que a mesma estava trancada, um hábito que não é comum na família. O homem apareceu enrolado em uma toalha, que segundo ele era para esconder o short que estava usando, que era feio. Ele disse que não tinha ninguém na residência e fechou a porta.

Pouco mais de dois minutos depois as duas meninas desceram as escadas com R$50 na mão, que o pescador havia dado para que elas não contassem nada a ninguém. No momento a mãe ás viu e estranhou o fato. Depois de muito negar, as meninas contaram sobre os abusos e afirmaram que o dinheiro havia sido dado a elas para que ficassem caladas.

Imediatamente a mãe foi até a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), sob a responsabilidade do delegado Lorenzo Pazolini e denunciou o parente. A partir daí foi expedido o mandado de prisão e, assim que o pescador voltou do mar, foi preso em sua casa.

O acusado

“Ele nega os fatos, mas confirma que entregou R$50 a criança. Na versão dele, por incrível que pareça, teria dado esse dinheiro para elas comprarem salgado, uma versão que nos parece extremamente frágil e diria até mesmo mentirosa”, relata o delegado Lorenzo Pazolini.

O acusado disse que as meninas iam muitas vezes a casa dele para brincar, mas que nunca fez nada e afirma que “Quem não deve não teme”.

Agora, o tio será encaminhado para o Presídio Estadual de Vila Velha V, no Complexo do Xuri, e as investigações continuam, pois mais duas vítimas se apresentaram a polícia afirmando também terem sido abusadas pelo mesmo homem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *