A eliminação no ATP Finals, neste sábado, após a derrota na semifinal para o alemão Alexander Zverev, não diminuiu a satisfação do suíço Roger Federer ao final da temporada de 2018. “Sampras (Pete, ex-jogador norte-americano) disse uma vez: ‘Se você ganhar um Grand Slam, é uma boa temporada”, disse o tenista, que descartou a possibilidade de aposentadoria no ano que vem, quando vai completar 38 anos. “Comecei bem, joguei muito bem na Austrália novamente. Estou ansioso para voltar lá”, disse, referindo-se ao título conquistado em janeiro no Aberto da Austrália.

Federer destacou o fato de também ter retornado ao primeiro lugar do ranking nesta temporada. “Devo dizer que estou muito orgulhoso de aos 37 anos ainda estar sendo tão competitivo e tão feliz jogando tênis. A partir desse ponto de vista, por mais desapontado que eu esteja por este jogo, estou muito feliz com o ano. Tem sido uma temporada histórica”.

Ao mesmo tempo, por ser bastante competitivo, Federer disse que também ficou desapontado com alguns resultados. “A segunda metade da temporada poderia ter sido melhor. Eu também tenho grandes esperanças de que sempre farei boas partidas. Talvez eu tenha perdido um par de partidas que poderiam ter mudado um pouco as coisas para mim. Não sei, Paris ou Wimbledon”.

Federer disse que alcançar o 100.º título de sua carreira não é uma obrigação. “Eu não preciso disso, mas vou continuar e ver se vou conseguir”, afirmou. “Agora estamos ansiosos para ver no que vamos trabalhar exatamente ano que vem. Também qual será a decisão se vamos jogar nas quadras de barro. Vamos definir nas férias”.

Logo após o jogo, ainda na quadra, Zverev pediu desculpas ao público presente na O2 Arena, após receber uma sonora vaia ao vencer o suíço, que era o preferido do público. “O pegador deixou cair uma bola no meio da troca de bolas e logo foi atrás dela. Sem pensar, parei o ponto, disse que era ‘let’. Assim são as regras”, afirmou o alemão, lembrando o ponto disputado no tie-break do segundo set.

“O público não se deu conta e logo me vaiou. Fiquei um pouco triste por causa dessa reação. Talvez não sabiam o que havia realmente acontecido. Mas ao final do jogo pedi desculpas ao Roger e ele disse que eu não precisava fazer aquilo”, completou o alemão.

Estadao Conteudo
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *