A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou à Comissão Externa de Fiscalização da BR 101, em reunião nesta terça-feira (05), que cobrará os estudos de readequação de contrato da Concessionária ECO 101. A intenção é que seja sanado o impasse das obras de duplicação.

O primeiro estudo apresentado pela empresa foi rejeitado pela Agência, que quer um planejamento mais detalhado na escala de tempo e com as informações de pedágio. A ANTT não descarta novas sanções formais à empresa, caso não cumpra o solicitado.

Segundo o diretor de Colegiado da ANTT Sérgio de Assis Lobo, a agência espera uma proposta da ECO 101 considerando o cumprimento de toda a duplicação e a edição de Medida Provisória do Governo Federal, que poderá determinar que o prazo de revisão de cronograma de obras seja ampliado de cinco para 14 anos.

Outra proposta, com duplicação parcial e terceiras faixas, além de uma proposta com duplicação parcial, com inclusão de terceiras faixas, exclusão de investimentos e inclusão de outros, como os contornos de Rio Novo do Sul, Fundão, Ibiraçu, Linhares, São Mateus, contorno do Mestre Álvaro, da Reserva de Sooretama, além de novas passarelas.

“Temos uma nova reunião com a ANTT, ainda a ser agendada, para saber se a empresa cumpriu o solicitado e conhecer a proposta mais adequada na avaliação da agência. O importante, para nós, é que o usuário não seja ainda mais prejudicado pelos aumentos de pedágio sem que as obras saiam efetivamente do papel”, destacou o deputado federal Marcus Vicente.

A reunião contou com as presenças do coordenador da Comissão e da Bancada Capixaba, deputado federal Marcus Vicente, do Líder da Maioria na Câmara Lelo Coimbra, dos deputados Paulo Foletto e Dr. Jorge Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *