Paulo Cesar Dutra

A ABREA – Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto ingressou com uma Ação Civil Pública requisitando que a empresa Brasilit seja condenada a indenizar por danos morais e materiais cerca de 2 mil trabalhadores que foram contaminados pela poeira do amianto durante a fabricação de telhas, caixas de água e produtos similares. O amianto, que foi utilizado pela empresa por 53 anos na fábrica de São Caetano do Sul/SP, é uma fibra altamente cancerígena para os seres humanos.

Fernanda Giannasi, engenheira fundadora da ABREA e aposentada como auditora-fiscal pelo Ministério do Trabalho em São Paulo, aponta que mais de 107 mil trabalhadores morrem anualmente por doenças provocadas pelo amianto. “Em cada três mortes por câncer dos trabalhadores, uma delas está associada diretamente à manipulação e ao uso da fibra amianto na fabricação de telhas, caixas d’água, discos de freios de veículos, entre outros produtos”.

A condenação requerida pela ABREA reivindica anular acordos extrajudiciais, que impediram os ex-empregados de entrarem com ações judiciais por conta de plano de saúde custeado pela antiga empregadora. A ação busca também custeio integral pela empresa de total assistência médica, hospitalar, fisioterápica, psicológica a trabalhadores contaminados e familiares indiretamente atingidos, e pagamento de indenizações por danos morais em patamar mínimo de R$ 500 mil aos doentes e familiares dos mortos pelo amianto.

As ações coletivas representam o clamor das vítimas do amianto. Embora torturados pela angústia de graves adoecimentos iminentes ou concretos, esses cidadãos e cidadãs confiam no resgate do seu direito a uma digna reparação e a uma assistência plena à sua saúde prejudicada

A fibra cancerígena causou dano ambiental, que perdurou no tempo, e afetou sobremaneira centenas de trabalhadores, que atuaram nesta e em outras unidades fabris do grupo multinacional francês. Os danos à saúde dos trabalhadores, conforme Lemgruber, se manifestam, em geral, aproximadamente 30 anos após a primeira exposição ao mineral amianto para as doenças mais graves como o câncer de pulmão, laringe e ovário, e o mesotelioma – o chamado “câncer do amianto”. O Processo é de 1002144-94.2017.5.02.0472.

Marilandia cresce
Os deputados da Assembléia Legislativa do Espírito Santo – ALES aprovaram, em sessão extraordinária na semana passada  o Projeto de Lei (PL) 392/2017, do governo do Estado, que incorpora à cidade de Marilândia o distrito de Córrego Joaquim Távora, atualmente pertencente a Colatina. O PL altera o anexo único da Lei 10.600/2016, que estabelece a divisão administrativa do Espírito Santo, a denominação dos municípios, suas divisas e confrontações. Com a aprovação da proposta ficam redefinidas as divisas dos municípios de Colatina, Marilândia e Governador Lindenberg.

De acordo com a justificativa da proposta, a mudança atende às demandas dos prefeitos municipais de Marilândia e Colatina, já que o Distrito de Córrego Joaquim Távora se situa a cerca de 13 km de Marilândia e a aproximadamente 40 km de Colatina. Devido à proximidade entre as localidades, a comunidade do Distrito de Córrego Joaquim Távora tem vínculo estabelecido com o município de Marilândia e dele demanda os serviços públicos de saúde, educação, manutenção de estradas, domicílio fiscal e eleitoral, bem como do comércio e serviços bancários”, justifica o governo.

Mutirão de reabilitação
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) no último sábado, 21, levou o mutirão de entrega de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção para mais perto de quem precisa. Uma equipe do Centro de Reabilitação Física do Espírito Santo (Crefes) foi ao Norte do Estado realizar a entrega de 70 equipamentos para pacientes que moram na região. O atendimento foi realizado no Hospital Estadual Roberto Arnizaut Silvares, em São Mateus.

O objetivo do mutirão é reduzir o tempo de espera dos pacientes adultos, jovens e crianças que precisam de dispositivos de reabilitação. Por isso, a Sesa fez um levantamento de quem já havia passado por consultas e exames e estava aguardando a liberação de seu equipamento.   

Por falar em prazo…
Devido ao horário de verão, o Supremo Tribunal de Justiça – STJ alerta: no envio de petições por meio do sistema de peticionamento eletrônico (e-STJ), o que vale, para efeito de cumprimento de prazo recursal, é o horário oficial de Brasília e não o do local onde se encontra o remetente.

EDP em destaque
A EDP Brasil (ex-Escelsa), empresa que atua em todos os segmentos da cadeia elétrica, pela segunda vez consecutiva, foi eleita pela revista Você S/A como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar no País. O destaque garantido à empresa reconhece práticas e experiências que proporcionaram mais engajamento e orgulho de pertencimento à empresa. Para Miguel Setas, diretor-presidente da EDP Brasil, o mérito é de todos os colaboradores.

Pesquisador do ES em feira tecnológica
O jovem pesquisador do Espírito Santo, de São Mateus, estudante Gustavo Bonomo Guimarães, representa o estado na 32ª Mostratec – Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia, que começou hoje, 23, em Novo Hamburgo, no Estado do Rio Grande do Sul, no Centro de Eventos da FENAC, de 23 a 27 de outubro de 2017. O evento, considerado o maior do gênero na América Latina, terá representantes de 20 países e de todos os estados brasileiros. A organização é da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha.

O estudante Guimarães desenvolveu um projeto para a construção e aprimoramento dos componentes eletrônicos de um drone. A função do objeto é voltada para as fotografias aéreas, que auxiliam no mapeamento da agricultura, engenharia civil e controle ambiental. Por ser remotamente pilotados, seu uso tem se tornado cada vez mais viável do que as fotografias aéreas que antes só podiam ser retiradas de aviões. Gustavo, que é aluno do Instituto Federal do Espírito Santo – Campus São Mateus, em São Mateus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *