alunos de medicina1Alunos do curso de medicina da Universidade de Vila Velha (UVV) provocaram reações e constrangimento da classe médica com as fotos publicadas em redes sociais. Na imagem cinco futuros médicos trajando jaleco, com as calças abaixadas até o tornozelo. E nas hashtags, entre outras expressões #pintosnervosos. Os cinco serão punidos pela instituição.

O que pode ter sido uma brincadeira foi recebido pelos profissionais como afronta e desrespeito à medicina e aos futuros pacientes desses médicos em formação. “Talvez os médicos capixabas nunca tenham tomado medidas drásticas a ponto de sermos interpretados como condescendentes com posturas como essas. Que tipo de brincadeira foi essa? Que tipo de profissionais eles querem ser e por que escolheram a medicina?”, questionou o urologista Mario Fonseca.  A UVV informou que será aberta sindicância para apurar os fatos e os cinco estudantes universitários podem ser punidos com advertência verbal até expulsão, se compatível com o ocorrido.

A UVV informou também que teve acesso a duas fotos envolvendo seis alunos do curso de medicina, e não sabe da existência de outras circulando. Esclareceu que o procedimento para apurar os fatos respeita o procedimento acadêmico formal e independente da quebra de conduta.

Por meio de nota, o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) repudiou e chamou de desrespeitosa a atitude. Informou que se reuniu na manhã desta segunda-feira (10) com a coordenação do curso de medicina e confirmou a autenticidade dos fatos. Outra reunião está marcada para a tarde a próxima terça (11) com os envolvidos e todos os alunos do curso para esclarecer sobre a seriedade do caso e o flagrante desrespeito à ética profissional. O CRM esclareceu que se os envolvidos fossem médicos, mesmo que recém-formados, caberia a eles abrir sindicância e um consequente processo ético profissional, cuja punição varia de advertência à cassação do registro de médico.

Informou também que tem adotado ações administrativas por meio de palestras para orientar médicos e estudantes sobre a ética profissional. Durante o ano, conselheiros vão às faculdades para alertar sobre a importância da boa postura profissional e realizam julgamentos simulados para mostrar aos recém-formados e futuros médicos a importância da boa prática médica e as ações do Conselho de Medicina.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (SIMES), Otto Baptista, também de manifestou e cobrou as providências éticas necessárias.  “O olhar do Sindicato, da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e da Confederação Nacional dos Médicos (CNM) é pelo lado profissional médico e ético. As cenas contribuíram para chocar não só a opinião pública como também a classe médica em geral”.

Cometários

  1. Moleques. É esse mesmo o melhor método de ensino de medicina da cidade?
    Deus que me livre a minha filha não chegará nem perto deste portão! São essas cabeças que a UVV está formando?
    Estou estarrecida!

  2. Mas gente foi uma brincadeira de muito mal gosto,Que tb esta o levando muito a sério não precisa tb ferrar com eles,só uma advertência manda Los pedir desculpas na mesma rede que os mostra de jaleco ai sim eles nunca +Irão brincar com esta natureza ou vai escolher outra profissão, não cometeram crime algum,Qd se é jovem pode acontecer+ser punido a ponto de perder o diploma ai tb não é correto,vcs não vão devolver os anos pagos com dificuldades destes alunos ,vão?

      1. concordo Andre…. que vergonha para classe feminina ter uma que pensa assim.. dever ser parente ou namorada para falar dessa forma….a pergunta é: Que tipo de médicos queremos ? e quais vão ser? Qual o proposito de ter a baixado as calça? essa vai ser o remédio que vao dar para o povo ?

    1. Pensa grande, Maria Aparecida. São brincadeiras estúpidas e machistas assim que perpetuam a cultura do estupro a qual todas nós, mulheres, estamos submetidas. Vc gostaria de estar sendo examinada por um babaca desses, que enquanto te examina está pensando em sua genitália? Não basta uma advertência e uma desculpa, é preciso mudar o modo de funcionamento desse povo!

  3. Merecem no mínimo pagar serviço comunitário em algum hospital público bem lotado! Pra ver a realidade dos fatos! Vão lidar com situações que precisam decidir agora se é isso mesmo que querem, pq tudo indica que não têm discernimento!

  4. que exagero. Atualmente não pode mais fazer nada comentar ou fazer alguma brincadeira que tudo virou racismo, apologia a violência ou preconceito.

  5. Foi piada sobre assédio mesmo? Um único veículo que eu li procurou ir mais à fundo e disse que era uma piada comum entre médicos que vão fazer tal e tal especialidade. Os “PintosNervosos” era um grupo do Facebook, que realmente foi encontrado… E uma coisa não me deixou de chamar a atenção. Os veículos e os especialistas falando de apologia ao estupro ou ao assédio, comparando os estudantes com Roger Abdelmassih, pessoal do CRM cobrando investigação da universidade, universidade publicando nota, gente querendo que eles sejam expulsos, escritora falando do assédio que sofreu de um oftalmo… E NINGUÉM… Além do veículo que eu citei procurou contextualizar a foto ou falar com os estudantes. Hoje, muitas fotos fora de contexto têm sido usadas para achincalhar pessoas. Isso é sério. Estou vendo um massacre, sem chance de defesa, e gente sendo chamado de estuprador pra baixo por algo que de repente foi só uma brincadeira – tosca! – e nada mais.

    1. Mas são das pequenas e simples coisas que provem as grandes, se dermos consentimento as brincadeiras o que vai ser nosso país daqui alguns dias…índios morrem por brincadeiras, crianças são abusadas e mortas por ato que começou por uma simples brincadeiras e a fala é a mesma” Aha! foi uma brincadeira, eu nao queria fazer isso”!, sabemos o quanto a mídia e o meio mais rápido de comunicação da massa… saber eles sabiam que ia se espalhar as fotos….

  6. Faz parte da vida, principalmente na juventude, o humor, a pilhéria. Mas neste caso não podemos condescender. Uma brincadeira de extremo mu gosto tornada pública, em um momento em que se sabe de muitos assédios, inclusive muitas histórias de abuso apuradas em em consultas ginecológicas.

  7. Meus Deus! Como pode esses jovens fazer uma coisa dessa, o que eles têm na cabeça? Olha que são jovens de faculdade, ou seja, tem ensino superior e deveria ter mais respeito com o ser humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *