Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Nos últimos quatro anos, o número de casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes aumentou 41% em Vitória, capital do Espírito Santo de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semus). Enquanto no ano de 2013 foram registrados 87 casos, os últimos dados, relativos ao ano de 2016, somam 148 ocorrências de abuso sexual contra crianças e adolescentes de 0 a 19 anos, tornando esta a segunda categoria de violência mais frequente na cidade, atrás apenas das agressões físicas (195 casos). Estes números não contemplam as ocorrências da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que também recebe denúncias.

Outros dados relacionados da Semus dão conta de que 68% dos abusos durante o ano de 2016 aconteceram dentro da própria residência da vítima, e na maioria das vezes os abusadores eram amigos ou conhecidos da vítima (24%) pai da vítima (15%) ou padrasto da mesma (14%). As maiores vítimas em 2016 foram crianças entre 10 e 14 anos (40,5%) seguida da faixa etária entre 5 e 9 anos (24,3%) e entre 1 e 4 anos (22,3%). Na grande maioria dos casos as vítimas são meninas (78,4%).

O vereador Davi Esmael (PSB), presidente da Frente Parlamentar de Combate ao Abuso e Exploração Infantil da Câmara de Vitória, que solicitou os dados à prefeitura, afirma que a vítima é abusada na maioria das vezes em lugares onde se sente segura. Ele informou que o bairro de Itararé concentra a maioria dos casos de abuso sexual contra menores e é lá que vão se iniciar as audiências públicas propostas pela frente para mobilizar os munícipes pela causa.

“A partir de julho começaremos a fazer audiências públicas nas áreas de maior ocorrência de abusos, das quais participarão associações de moradores, lideranças religiosas, associação de pais e o Fórum Araceli. Chamamos a população para ter a real noção do tamanho desse problema que não se trata somente de segurança pública, pois grande parte das violências acontece dentro de casa. Precisamos trabalhar valores e princípios, respeito à intimidade de nossas crianças e o combate à sexualidade precoce. A solução tem que ser construída em conjunto e temos que cobrar o executivo municipal e estadual a atuação. A proposta é que a primeira audiência aconteça em Itararé, na Casa do Cidadão, onde se encontra a Secretaria de Direitos Humanos, no mês de julho”, explicou o vereador.

Mais números tristes

Desde o ano de 2011, os casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes só vem crescendo em Vitória, de acordo com os dados da Semus. Em 2011, eram 28 casos, que cresceram para 80, em 2012; 87, em 2013; 114, em 2014; 134 (2015) e 148 (2016). Os dados não contemplam as ocorrências da DPCA, o que aumentaria consideravelmente a quantidade de casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes.

“O abuso é um crime ainda silencioso. Quando falamos para a alguém que no bairro dele aconteceram tantos crimes de abuso ele não acredita, porque nunca soube do problema. As vítimas ainda se envergonham de denunciar e as famílias evitam falar por vergonha”, comentou o vereador Davi Esmael.

Com relação ao Espírito Santo, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) recebeu 404 notificações de violência sexual e outras 305 de estupros na faixa etária de 0 a 19 anos em todo o Estado, no ano de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *