Fotos de Carlos Antolini/PMV
Fotos de Carlos Antolini/PMV

A moqueca é o prato mais tradicional da culinária capixaba. Tanto que ganhou até um dia, 30 de setembro. O dia da moqueca capixaba foi instituído ao calendário da cidade de Vitória em 2012, por meio da Lei Municipal N° 8.813. Outra lei, na esfera estadual institui a moqueca capixaba com comida típica do Estado do Espírito Santo, a Lei Estadual N° 7.567 de 2003.

A data escolhida, 30 de setembro, marca o aniversário do autor de uma citação conhecida pelo Brasil, “Moqueca é capixaba, o resto é peixada”. E ninguém melhor do que o próprio, Cacau Monjardim, para explicar de onde ela surgiu. Segundo conta, ela nasceu de uma brincadeira quando participou de algumas reuniões na Bahia e deixou os amigos de lá um pouco bravos. “Quando eu passava por lá comia no restaurante São Pedro. Mas a comida era muito pesada e eu passava mal. Dizia para os amigos baianos que no Espírito Santo comemos uma moqueca de manhã, tarde, noite e madrugada e no outro dia estamos inteiros. E na Bahia temos que começar a comer aos três anos de idade para se habituar a pimenta, dendê e leite de coco, como uma boa peixada”

“A moqueca no Espírito Santo é um assunto muito popular, e os turistas que aqui passam têm que degustar esse delicioso prato, o mais famoso do Estado e exemplo de gastronomia, cultura e tradição capixabas”, destacou o secretário interino de Turismo, Trabalho e Renda, Renzo Nogueira.

A moqueca capixaba é feita na panela de barro, outro ícone capixaba. A panela de barro também já é reconhecida como Patrimônio Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O prato é uma tradição trazida pelos índios há mais de 400 anos e, segundo chefs renomados, a receita atende aos quatro padrões que a gastronomia preza em um prato de qualidade: sabor, cor, perfume e consistência.

A Grande Vitória é cercada por restaurantes que servem a famosa iguaria. O valor base sai em torno de R$ 120,00. Em um deles, que fica no Triangulo das Bermudas, o prato servido com o peixe mais conhecido, o badejo, e sai a partir de R$ 140,00. A preparação leva ingredientes simples, como cebola, tomate e alho. Mas com um segredinho, revelado pela cozinheira Andreia Paula Machado, que faz moquecas há 21 anos.

“É o Urucum, o melhor que fazemos aqui. Também leva sal, azeite, muito capricho no tempero e peixe fresquinho. Feito na panela de barro que é nossa tradição. E ai você vai sentir uma moqueca natural, sem muito colorau, porque engrossa. É uma moqueca bem natural”.

O empresário Hercílio Filho, conhecido como “Pirão”, entende bem de moqueca e comentou um pouco sobre a amizade que mantem com o jornalista há mais de 30 anos. “Sou quase um irmão mais novo. Ele tem 80 e eu 70. E o aniversário dele é no dia da moqueca, em homenagem a famosa frase moqueca só capixaba, o resto é peixada!”

Moqueca 016 - Foto Sagrilo1Confira abaixo sugestões de restaurantes que servem moqueca:

Ilha do caranguejo
Valor: R$ 99,00 à R$ 260,00
Horário: de 11h às 0h
Endereço: R. Alcíno Pereira Netto, 570, Jardim Camburi, Vitória

Restaurante São Pedro
Valor: R$ 120,00 a R$ 200,00
Horário: de 11h às 22h (segunda a sexta); e até as 16h (sábados, domingos e feriados)
Endereço: Rua Ferreira Coelho, 98, Praia do Suá, Vitória

Enseada Geraldinho
Valor: R$ 92,50 a R$ 209,80
Horário: 11h às 23h
Endereço: R. Aleixo Netto, 1603, Santa Lucia, Vitória

Timoneiro
Valor: R$ 131,00 a R$ 209,80
 Horário: 11h30 às 23h30
 Endereço: Av. Gil Veloso, nº 192, Vila Velha (próximo a orla da praia)

RECEITA
Moqueca Capixaba (6 porções)
Ingredientes
2 kg de peixe (badejo, robalo, dourado, cação, garoupa)
2 maços de coentro fresco picado
400g de cebola branca picada em cubos
600g de tomates picados em cubos
20g de alho picado
50 ml de azeite de oliva
30 ml de tintura de urucum (sementes de urucum aquecidas com óleo de milho) ou coloral a gosto
Sal, pimenta do reino e limão

Preparo
Limpe o peixe, corte-o em postas e deixe-o em um recipiente com sal e suco de limão por 30 minutos. Reserve a cabeça para o pirão
Numa panela de barro capixaba refogue no azeite, o alho e metade da cebola, do tomate e do coentro.
Arrume as postas de peixe em cima fazendo uma só camada.
Vire-as de um lado e do outro para pegarem um pouco deste tempero
Cubra com o restante da cebola, tomates e coentro.
Regue com a tintura de urucum e  com um pouco mais de azeite.
Deixe cozinhar, tampada, em fogo alto e quando abrir fervura coloque umas gotas de limão. Não acrescente água ou vire as postas para não quebrá-las.
Com auxílio de luvas ou um pano grosso balance a panela algumas vezes para evitar que a moqueca agarre no fundo.
Quando o peixe estiver cozido, verifique o tempero e sirva salpicada de cebolinha verde.
Sirva com arroz branco e um pirão feito com a cabeça do peixe.

Pirão
Cozinhe a cabeça do peixe na água e com os mesmos ingredientes da moqueca até quase desmanchar.
Retire a cabeça, desfie a carne e elimine os ossos.
Peneire o caldo, tempere-o e junte a carne desfiada.
Acrescente a farinha de mandioca crua em fogo baixo, mexendo sempre para não empelotar e o suficiente para atingir uma consistência média.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *