chuvas de meteoros2019 terá chuvas de meteoros em todos os meses. É o que garante o pesquisador do Observatório Nacional Marcelo De Cicco, que acompanhou o levantamento do fenômeno que acontecerá até o final deste ano. No próximo dia 18 de janeiro, a chuva Ursae Minorids terá seu pico, podendo ser observada a olho nu no céu do país. Em fevereiro, a Centaurids terá seu auge no dia 8. Já em março, dia 15, será a vez da Normids riscar o céu, em 23 de abril a Lyrids e 24, a Puppids.

Até o fim do ano, pelo menos uma chuva de meteoros será visível. Porém, outubro e dezembro apresentam o maior número de chuvas: sete e oito respectivamente. Marcelo De Cicco, pesquisador do Observatório Nacional e coordenador do projeto Exoss, explica o motivo: “Ocorre que, no último quarto do ano, o denominado complexo das Taurids – um aglomerado de detritos de muitas passagens antigas de cometas, divide-se em dois ramos, e é atravessado pelo nosso planeta”.

Os meteoros são pequenos corpos celestes que se deslocam no espaço e entram na atmosfera da Terra, queimando parcial ou totalmente devido ao atrito com a atmosfera terrestre e ao contato com o oxigênio. Este fenômeno deixa um risco luminoso no céu, que é popularmente chamado de “estrela cadente”. Eles não representam riscos para a Terra.

Quem registrar imagens de meteoros dessas chuvas pode enviá-las ao projeto Exoss, coordenado por Marcelo de Cicco, usando a ferramenta bolido.exoss.org.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *